Goleiro do São Paulo é preso por violência doméstica e pode ter contrato rescindido

Mulher de Jean denunciou pelo Instagram ter sofrido agressões do atleta durante viagem de férias em Orlando, nos EUA

El País|Agencias
Goleiro Jean foi detido pela polícia da Flórida.
Goleiro Jean foi detido pela polícia da Flórida.CORTESÍA / EFE

O goleiro Jean, 24, reserva do São Paulo, foi detido nesta quarta-feira acusado de violência doméstica na cidade de Orlando (Flórida) pela mulher, Milena Bemfica. Antes de denunciar o marido às autoridades, ela publicou vários vídeos no Instagram em que aparece com hematomas e ferimentos no rosto que teriam sido provocados por Jean. A ocorrência policial foi registrada pelo Departamento de Correções do Condado de Orange, em Orlando, onde o casal passa férias com as duas filhas.

Mais informações

A prisão do jogador, cujo nome completo é Jean Paulo Fernandes Filho, aconteceu pouco antes das 7h30 da manhã (horário local). Segundo o boletim da polícia, ele precisou ser algemado por não cooperar com as diligências das autoridades. No quarto do hotel onde se hospedavam, Jean teria discutido com a mulher, arremessado-a sobre a cama e desferido três socos em seu rosto. A vítima, “em legítima defesa”, segundo Edgar Castillo, o oficial que colheu os primeiros depoimentos, quebrou uma chapinha de cabelo na cabeça de Jean, o que resultou em uma ferida em sua testa.

"Ambos ficaram de pé e Jean continuou sendo agressivo com ela”, aponta a ocorrência. Milena, então, jogou a chapinha em direção ao goleiro, ocasionando um pequeno corte em sua perna. Ela tentou se desvencilhar do marido, mas ele a arrastou para o banheiro, onde teria golpeado seu rosto por mais cinco vezes. Castillo observou que o rosto da mulher “estava inchado e com hematomas nos dois olhos”. Nos vídeos e imagens que publicou no Instagram, Milena ainda acusa Jean de chantagem psicológica. Em uma das mensagens que teria recebido do marido enquanto estava trancada no banheiro, ele diz que a mulher acabou com sua carreira e, devido à repercussão da denúncia, as filhas passariam fome.

A vítima recebeu atendimento médico no local, enquanto Jean foi levado a um hospital para tratar de seus ferimentos. O documento policial afirma que o goleiro foi “o principal agressor nesse incidente e causou danos corporais intencionais”. Ele preferiu não notificar o Consulado Brasileiro. Em 2017, Jean assinou contrato de cinco anos com o São Paulo. O clube, que avalia a possibilidade de rescindir o acordo, divulgou uma nota informando que “acompanha o caso e aguarda apuração dos fatos para definir as medidas cabíveis. Em seus quase 90 anos de existência, o São Paulo construiu uma história pautada por princípios sólidos de conduta dentro e fora de campo, e não abre mão deles”.

Mais informações