Cinema

Scarlett Johansson processa a Disney pelo lançamento de ‘Viúva Negra’ em sua plataforma digital

Atriz considera que o contrato foi descumprido com a exibição simultânea do filme, o que o estudo nega

Scarlett Johansson em cena de ‘Viúva Negra’. Em vídeo, trailer de ‘Viúva Negra’.
Scarlett Johansson em cena de ‘Viúva Negra’. Em vídeo, trailer de ‘Viúva Negra’.Jay Maidment / AP

Scarlett Johansson entrou com uma ação contra a Disney em um tribunal de Los Angeles na quinta-feira, alegando descumprimento do contrato no lançamento digital em sua plataforma de Viúva Negra, um dos filmes mais aguardados do verão. Hollywood esperava que o novo lançamento da Marvel, que estreou nos cinemas dos Estados Unidos no início do mês, servisse como termômetro da recuperação da bilheteria em tempos de pandemia, mas será a ação judicial de uma das maiores estrelas que definirá o futuro próximo de uma indústria em rápida transformação. Johansson afirma que o acordo com os estúdios Marvel, propriedade da gigante do entretenimento, contemplava apenas a estreia nos cinemas e que seu lançamento na Disney+ afeta uma porcentagem do que receberia, que depende diretamente da bilheteria. Viúva Negra arrecadou quase 160 milhões de dólares (cerca de 838,66 milhões de reais) em todo o mundo.

Mais informações

“A Disney induziu intencionalmente a Marvel a violar o acordo, sem justificativa, impedindo a senhora Johansson de obter todos os benefícios do acordo”, diz a denúncia citada pelo The Wall Street Journal. Um porta-voz dos estúdios, que rejeitam a denúncia apresentada nos tribunais de Los Angeles, disse a este jornal que o caso subestima as severas perdas que a indústria cinematográfica teve devido à pandemia do coronavírus e que a protagonista se beneficiou da estreia digital na Disney+, que ofereceu aos seus assinantes a possibilidade de ver o filme por 30 dólares, valor superior ao preço de uma entrada de cinema, que ronda os 13 dólares. Em um comunicado, a empresa criticou a denúncia da atriz e a acusou de “ignorar o contexto excepcional da pandemia do coronavírus”. A Disney afirma que o processo “não tem nenhum fundamento”: “Esta acusação é especialmente triste e angustiante em sua cruel indiferença em relação aos efeitos horríveis, prolongados e globais da pandemia do coronavírus. A Disney honrou totalmente o contrato de Johansson. Além disso, a estreia com acesso premium ampliou significativamente sua capacidade de receber uma compensação adicional superior aos 20 milhões de dólares que recebeu até agora”.

Johansson recebeu 20 milhões de dólares por sua participação em Viúva Negra, mais uma peça do popular universo Marvel, em que interpreta Natalia Romanoff, uma espiã e assassina integrante dos Avengers, os vingadores. Sua estreia conseguiu arrecadar cerca de 80 milhões de dólares, mas a bilheteria sofreu uma perda acentuada em seu segundo fim de semana de exibição, prejudicada pelas mudanças adotadas por conta da disseminação da variante delta do coronavírus em praticamente todo o mundo. O filme teve o pior segundo fim de semana de todas as aventuras da Marvel desde que a Disney comprou os estúdios dirigidos por Kevin Feige em 2009.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Mas foi a estreia na plataforma Disney+ o que ajudou a amortizar as perdas. A Disney disse que o filme chegou a mais de dois milhões de lares nos primeiros dias da oferta, arrecadando 60 milhões de dólares apenas em exibição digital. Isso parece definir o rumo da gigante do entretenimento, que está passando por uma fase de tentativa e erro com o formato digital. Viúva Negra é o quarto filme que oferece em seu streaming, lançado em novembro de 2019 e que ultrapassou os 100 milhões de assinantes em março. Nesta sexta-feira a plataforma estreia Jungle Cruise, outra das apostas da temporada, estrelada por Emily Blunt e Dwayne Johnson.

A Disney segue um caminho explorado por outros grandes estúdios, que apostaram em estreias digitais próprias para avançar na transformação da indústria. Recentemente a Warner Bros., outro dos grandes estúdios de Hollywood, anunciou que fará 10 filmes que terão estreia exclusiva em 2022 na HBOMax, plataforma da WarnerMedia, que tem 47 milhões de assinantes. A Warner surpreendeu no final de 2020 ao anunciar que suas grandes apostas para este ano chegariam aos cinemas e à sua plataforma digital ao mesmo tempo. Em 2022, os filmes da Warner estarão disponíveis digitalmente apenas 45 dias depois de seu lançamento nos cinemas, uma janela de exibição muito mais curta do que era habitual em Hollywood antes da pandemia.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50