Britney Spears

Britney Spears desabafa perante a justiça: “Só quero recuperar minha vida”

A estrela do pop comparece ao tribunal para pedir o fim dos 13 anos de tutela financeira e pessoal de seu pai, Jamie Spears

Fãs da cantora Britney Spears se manifestam do lado de fora do tribunal de Los Angeles.
Fãs da cantora Britney Spears se manifestam do lado de fora do tribunal de Los Angeles.Chris Pizzello / AP

Mais informações

Britney Spears quer ter novamente as rédeas de sua vida. A estrela do pop compareceu nesta quarta-feira diante da juíza Brenda Penny para solicitar o fim de sua tutela judicial. Ela o fez em uma nova audiência que ela mesma solicitou. “Não estou feliz. Não consigo dormir. Estou irritada e deprimida”, disse de forma dramática a estrela em um apaixonado depoimento dado por meio do Zoom. Desde 2008, seu pai, Jamie Spears, junto a um fideicomisso, supervisiona, por decisão judicial, das finanças até os menores detalhes da vida da cantora, desde que ela sofreu um colapso nervoso diante dos olhos de todos. A artista, que está sem cantar desde fins de 2018, levanta a voz com seu depoimento e um verdadeiro tom de cansaço. “Meu pai e todos os envolvidos nesta tutela, inclusive o meu empresário... deveriam estar na prisão”, disse com irritação a cantora, que ameaçou processar sua família pelo que lhe fizeram.

O advogado de Spears, Samuel Ingham, disse que o depoimento de sua cliente não foi editado, vazado ou controlado. O que a corte ouviu foi Britney em estado puro, uma mulher que estava no topo da indústria musical e que foi silenciada. Hoje ela está muito irritada. Nesta quarta-feira disse que estava pronta para compartilhar sua história com o mundo. “Antes eu pensava que ninguém acreditaria em mim. Pensava que as pessoas iriam zombar de mim. Mas agora eu quero minha vida de volta. Foi o bastante”, disse a artista.

A última vez que Spears compareceu perante a justiça em seu caso foi em maio de 2019, quando disse à corte, a portas fechadas, que considerava o acordo de tutela demasiado rigoroso. Por causa deste, seu pai obrigou-a a se internar em um centro de saúde mental como punição depois de ter protestado em um ensaio e inclusive obrigou-a a fazer um show contra sua vontade quando ela estava doente, com febre. “Obrigaram-me a ir a um psiquiatra três vezes por semana”, disse nesta quarta-feira. A cantora afirmou ante o tribunal que quer reduzir o tempo com o psicólogo a uma sessão por semana, já que “não acredita na terapia”. “Sempre pensei que posso levar meus problemas a Deus”, acrescentou a estrela.

“A tutela não fazia sentido algum desde o início. Eu pago as pessoas para que me controlem. Trabalho desde os 17 anos e essa tutela é um abuso”, disse Spears em outra ocasião. Alguns documentos legais mostram que a cantora já se sentia incomodada com o arranjo há anos. Em 2014 pediu ao seu advogado que destituísse o pai como tutor porque este bebia demais, segundo revelou o The New York Times, o que explica que o controle que exercia era absoluto. Este decidia desde as pessoas que ela podia conhecer e com quem podia se encontrar. Nesta audiência, Spears deu detalhes mais íntimos. “Quero me casar e ter um bebê”, afirmou. “Mas eu tenho um DIU para não engravidar”, dando a entender que sua tutela legal não quer que tenha mais filhos. O parceiro da estrela, o ator Sam Asghari, postou no Instagram uma foto posando com uma camiseta que dizia “Free Britney”. Jamie Spears e representantes do acordo acusaram em outras ocasiões Asghari de colocar a artista contra eles.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

O senhor Spears respondeu laconicamente ao dramático depoimento da filha. O advogado que o representa afirmou que o homem lamenta vê-la “sofrendo e com tanta dor”. A relação do pai com a filha teve muitos altos e baixos ao longo de décadas. Mas o ano que marcou a ruptura foi 2019. Em janeiro daquele ano, Britney surpreendeu o mundo ao anunciar o cancelamento de Domination, a série de shows que dava em Las Vegas. O motivo? A saúde do pai. Uma doença no cólon o deixou 28 dias no hospital e à beira da morte desde o final de 2018. “Temos uma relação muito especial e quero estar este tempo com a minha família, como ela sempre esteve comigo”, escreveu Britney nas redes sociais. As apresentações em Las Vegas representavam desde 2013 a principal fonte de receita da artista, que não lança um álbum desde 2016. Nesta quarta-feira a artista disse que foi “forçada” a realizar a residência dos shows na cidade de Nevada e que a série de apresentações custou-lhe muito trabalho porque foi medicada com lítio.

A pausa foi ficando mais longa. Primeiro durante semanas e depois durante meses. Em fevereiro, o The New York Times apresentou um documentário com alguns postos-chaves da tempestade que atingia o núcleo da família. Framing Britney Spears (Enquadrando Britney Spears) usava depoimentos de pessoas próximas à artista para colocar em dúvida a tutela que tem uma década de validade. A decisão, um recurso geralmente utilizado por pessoas com doenças mentais ou idosos que não conseguem mais cuidar de si mesmos, foi decretada em um momento de grande estresse para a artista. Alguns dos entrevistados pela jornalista Liz Day afirmaram que a decisão era desnecessária para uma mulher de 39 anos que tem uma vida muito diferente daquela de 13 anos atrás.

Em 2020, o advogado Ingham disse ao juiz que Spears tinha medo do pai; de fato a artista chegou a ameaçar abandonar a carreira se o pai continuasse a tutelando. Jamie Spears, de 68 anos, que recebe 16.000 dólares (cerca de 79.460 reais) por mês para ser o guardião legal, se tornou, graças a essa figura legal, um poder “obsessivo” sobre a vida da filha. Chegava a aprovar suas amizades e limitava seus gastos a 2.000 dólares por semana, embora a fortuna da estrela de Baby one more time (leia mais aqui, em espanhol) seja de quase 60 milhões de dólares. A tutela legal também a submetia periodicamente a exames para detectar drogas e a mantinha vigiada por uma equipe de segurança. Em março de 2021 Spears exigiu por meio de seu advogado que Jamie Spears deixasse de ter a tutela legal e que isso passasse para as mãos de Jodi Montgomery, uma administradora que algumas vezes, devido aos problemas de saúde do pai, geriu a tutela integralmente. No momento, Montgomery é quem tem o controle sobre as decisões pessoais da artista, enquanto o pai tem o controle sobre suas propriedades.

Em novembro do ano passado, Lynne Spears, a mãe de Britney, que se divorciou de Jamie em 2002, qualificou diante do tribunal de “tóxica” a relação entre pai e filha. Lynne juntou-se aos que pedem o afastamento do pai como guardião legal, algo que a juíza rejeitou à espera de que o advogado da cantora apresente uma moção definitiva que ponha fim à tutela e dê uma alegria a todos os simpatizantes do movimento #FreeBritney.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50