Pandemia de coronavírus

Música na quarentena: o melhor de Chico Buarque, em seleção de ao vivos

Diretor de cinema e produtor musical espanhol sugere um conjunto de músicas do cantor e compositor, que faz parte da história cultural brasileira

Chico Buarque no Rio em 2015.
Chico Buarque no Rio em 2015.Luiz Maximiano

Chico Buarque da Hollanda (Rio de Janeiro, 1944) é uma das figuras-chave da MPB. De uma família de intelectuais, seu pai, historiador, foi autor de História Geral da Civilização Brasileira e membro fundador do PT.

Quase um adolescente, já conheceu o sucesso com A Banda e desde então não deixou de estar na primeira fila da cultura brasileira, não só com seus discos, como também com musicais como Roda Viva e Ópera do Malandro, trilhas sonoras para filmes (Dona Flor e Seus Dois Maridos, Bye Bye Brasil...), e livros: Estorvo, Budapeste, Leite Derramado etc.

No final dos anos sessenta, ameaçado pela ditadura militar, decidiu se exilar na Itália. Compôs frequentemente em colaboração com Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e algumas de suas composições ganharam versões de Chet Baker a Brad Mehldau, além de dezenas de cantores de todo o mundo. Uma especialidade de Chico é escrever canções do ponto de vista de uma mulher. Ele tem joias nesse registro.

Poderiam ser feitas muitas playlists de Chico Buarque. Decidi fazer uma com suas músicas ao vivo. Embora suas gravações de estúdio sejam excelentes, tenho certa inclinação por suas gravações com público. Não incluo nada do magnífico Caetano e Chico Juntos e Ao Vivo, mas aproveito para recomendá-lo a todos que não o conheçam.