Marília Mendonça morre em acidente de avião na serra da Caratinga, em Minas Gerais

Outras quatro pessoas estavam no avião, e não sobreviveram. Governador de Goiás decreta luto por três dias e oferece ginásio para velar o corpo da cantora. Companhia de energia de Minas Gerais diz que o bimotor “atingiu um cabo de uma torre de distribuição” antes de cair

São Paulo -
A cantora Marília Mendonça, em foto publicada em sua rede social, no dia 31 de outubro
A cantora Marília Mendonça, em foto publicada em sua rede social, no dia 31 de outubroReprodução

A cantora sertaneja Marília Mendonça, de 26 anos, morreu na tarde desta sexta-feira em um acidente de avião na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais. Casada com o compositor Murillo Huff, ela deixa um filho, que fará dois anos em dezembro. A assessoria de imprensa da cantora também confirmou a morte de seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião ―que não tiveram seus nomes divulgados. A Cemig, companhia de energia de Minas Gerais, informou por meio de nota que o “avião bimotor que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da companhia” na cidade de Piedade de Caratinga, no oeste de Minas, antes de cair.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, decretou três dias de luto oficial no Estado. “E o velório de Marília Mendonça está autorizado a ser no Goiânia Arena, ao lado do Estádio Serra Dourada, para que os fãs possam se despedir, se esse for o desejo da família”, anunciou o governador. A Secretaria Especial de Cultura do Governo Bolsonaro manifestou sua homenagem em uma publicação no Twitter. “É com imenso pesar que lamentamos a morte da cantora Marília Mendonça, de toda a tripulação e passageiros”, diz em nota. “Marília Mendonça deixa um legado para a música regional brasileira e cultura do Brasil. Certamente não será esquecida.”

Minutos depois, o próprio Jair Bolsonaro publicou sua mensagem: “O país inteiro recebe em choque a notícia do passamento da jovem cantora sertaneja Marília Mendonça, uma das maiores artistas de sua geração, que com sua voz única, seu carisma e sua música conquistou o carinho e a admiração de todos nós. O sentimento é de que perdemos alguém muito próximo, já que Marília sempre esteve presente em nossas vidas através de suas canções”, escreveu Bolsonaro, completando: “Neste momento de profunda dor e tristeza peço a Deus que console o coração de seus fãs e, em especial, de seus amigos e familiares, bem como das demais vítimas do acidente. Que a dor da saudade dê lugar à certeza de que a morte não é o fim. E que Deus conforte a todos”.

Totens da música brasileira, como Caetano Veloso e Gal Costa, também se manifestaram. “Senti alívio quando li, cerca de uma hora atrás, notícia de que ela passava bem, apesar de estar num avião que caíra. Agora fiquei sabendo que, na verdade, ela morreu no acidente. Estou chorando. Acho que nem posso acreditar”, escreveu o cantor, ao lembrar que, em uma de suas músicas recentes, cita Marília Mendonça duas vezes. Gal Costa postou uma foto ao lado de Marília e se disse “arrasada”: “Uma pessoa jovem, carinhosa, maravilhosa, que deixa um filho pequeno. É uma perda irreparável. Meus sentimentos à família. Muito triste, tudo muito triste”.

Os Bombeiros foram informados sobre a queda de uma aeronave em um rio na zona rural Piedade de Caratinga por volta de 15h30. Segundo informações iniciais, haveria duas pessoas feridas no interior do bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás. A equipe de resgate chegou ao local e constatou que, apesar do forte odor de combustível, não havia chamas nem risco de submersão da aeronave. A Polícia Civil de Minas Gerais informou em rede social que foram identificados cinco corpos no avião e que os “trabalhos seguem”. Cerca de uma hora depois de a assessoria da cantora informar que estavam todos bem, as autoridades locais confirmaram que o acidente não deixou sobreviventes.

A cantora, compositora e instrumentista era um dos nomes de maior repercussão e influência na música nacional. Nascida em Cristianópolis, Goiás, em 22 de julho de 1995, ela se tornou um ídolo do feminejo, um tipo de sofrência que empodera as mulheres, em 2016. A canção Infiel, incluída em seu álbum de estreia, tornou-se uma das mais tocadas no país, fazendo Marília Mendonça receber o disco de diamante triplo. Em 2017, lançou seu segundo álbum Realidade e recebeu uma indicação de melhor álbum de música sertaneja no Grammy Latino. Lançou Todos os Cantos, em 2019, que lhe rendeu um disco de tripla platina e o prêmio ao Grammy Latino.

As manifestações de lamento por sua morte vão desde o jogador de futebol Neymar —”Me recuso acreditar, me recuso”— até o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso: “Muito, muito triste a morte no auge da juventude e da fama da cantora e compositora Marília Mendonça, ‘rainha da sofrência’. Quando postei uma música dela aqui, alguns meses atrás, a repercussão foi imensa. Meu carinho e solidariedade ao filho, à família e aos seus admiradores”. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve cancelada uma entrevista que daria a um programa de podcast. “Nossos sentimentos aos familiares e milhões de fãs da música, do carisma e da irreverência da cantora Marília Mendonça. Que Deus dê forças e conforte o coração de todos que perderam um ente querido nesse trágico acidente”, escreveu o petista em seu perfil no Twitter.

O avião da cantora saiu de Goiânia com destino a Caratinga, onde ela teria uma apresentação nesta noite. Antes de decolar, a cantora publicou um vídeo em sua rede social informando sobre a viagem. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) divulgou nota para informar que investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, localizado no Rio de Janeiro, “foram acionados para realizar a ação inicial do acidente envolvendo a aeronave de matrícula PT-ONJ, nesta sexta-feira (05), em Caratinga (MG)”. “Na Ação Inicial os investigadores identificam indícios, fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas, reúnem documentos, etc. Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer, dependendo sempre da complexidade da ocorrência”, completa a nota.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS