Série animada ‘Justiça e guerra às drogas’ denuncia racismo arraigado na Justiça brasileira

Quatro vídeos animados se propõem a mostrar ao grande público um lado ainda pouco conhecido sobre o funcionamento do sistema de Justiça brasileiro

Capa do primeiro episódio da série, "Os juízes são heróis?".
Capa do primeiro episódio da série, "Os juízes são heróis?".

Uma série de quatro vídeos animados se propõe a mostrar ao grande público um lado ainda pouco conhecido sobre o funcionamento do sistema de Justiça brasileiro. Se a Lava-Jato vendeu para muita gente a ideia de que juízes e promotores são heróis que combatem os interesses dos poderosos, a série Justiça e guerra às drogas mostra uma outra realidade: os membros do Judiciário e do Ministério Público fazem parte de uma elite poderosa, muito rica e muito branca, que tem como principal resultado de seu trabalho a blindagem dos ricos e perseguição de negros e pobres.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

A série foi criada por iniciativa do JUSTA, plataforma que pesquisa o funcionamento do sistema de Justiça, da rede Plataforma Brasileira de Política de Drogas e da ONG Iniciativa negra por uma nova política sobre drogas. O roteiro e a produção dos vídeos foram realizados pela Ponte Jornalismo, veículo de comunicação especializado em direitos humanos, em parceria com a produtora Iracema Rosa.

Os quatro vídeos, com duração entre 6 e 10 minutos, usam a animação como um recurso para divulgar, de um jeito atraente e acessível, um panorama sobre como se dá a aplicação da lei de drogas no Brasil e como magistrados e promotores se associaram aos Governos para blindar a violência policial e produzir o encarceramento em massa da população negra.

A animação será exibida toda terça-feira, a partir de 28 de setembro, na Ponte Jornalismo, sendo replicada no EL PAÍS, no Yahoo! Notícias, na Rede TVT e nos canais do YouTube das organizações responsáveis pelo projeto.

O primeiro vídeo —Os juízes são heróis?— revela o perfil elitizado dos magistrados brasileiros e como isso se reflete em suas atuações práticas. O segundo e o terceiro vídeos— Proibir drogas faz mal à saúde. E à sua família e A guerra às drogas é uma guerra aos pobres — analisam o impacto real da proibição de drogas sobre a maioria da população brasileira. Para finalizar, a última animação — Descriminalizar, desfinanciar, desencarcerar — propõe um novo caminho, envolvendo a descriminalização de todas as drogas, o desencarceramento das populações e o desfinanciamento da polícia e do sistema de Justiça criminal.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: