Star Wars

‘Star Wars IX’: o futuro da saga após seu terceiro final “definitivo”

Lançamento da Disney+ em março leva o universo galáctico ao mundo das séries

Imagem de 'The Mandalorian'. Em vídeo, trailer da série.DISNEY+

A chegada de A ascensão Skywalker, que estreia nesta quinta-feira, marca o fim de uma época. Star Wars coloca ponto final na saga da família com a qual tudo começou em 1977. O nono filme da história principal é “o final definitivo”. Outra vez. É verdade que em 2020 não haverá filme de Guerra nas Estrelas pela primeira vez desde 2015, mas isso não significa que a Disney não continuará se aproveitando da galinha dos ovos de ouro, mesmo se isso signifique se afastar dos Skywalker. É o momento do universo de George Lucas crescer mais além do clã que vem construindo há mais de 40 anos.

A presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, tem agora um duplo desafio: como construir esse novo capítulo? E como adaptá-lo ao novo mundo das plataformas? A empresa já começou a dar respostas, ainda que, pelo caminho, tenha passado por alguns altos e baixos: Josh Trank foi demitido da aventura de Boba Fett pensada como o filme de 2020; o filme dedicado a Han Solo foi um fracasso após a demissão dos diretores Phil Lord e Chris Miller, o que fez com que todos os spin-off planejados parassem, e, por fim, Dan Benioff e D.B. Weiss (criadores de Game of Thrones) saíssem da trilogia que preparavam para se dedicar ao seu acordo exclusivo com a Netflix.

Sequência de 'Star Wars: A Ascensão Skywalker''.

The Mandalorian e o futuro em séries na Disney+

A Disney+, que aterrissa no Brasil apenas no final do ano que vem, terá a primeira temporada completa de The Mandalorian, que já está sendo transmitida nos EUA, como é óbvio pela quantidade de memes do Baby Yoda que se multiplicam na Internet. Mas o bebê é somente uma parte da série que introduz Pedro Pascal como um caçador de escalpos que nunca tira o capacete e sua equipe de amigos e inimigos: Werner Herzog, Gina Carano, Nick Nolte, Taika Waititi e Carl Weathers. O projeto serviu como substituto ao filme de Boba Fett, com uma segunda temporada já confirmada.

The Mandalorian é composta por oito episódios quase autocontidos e curtos com um toque clássico de série de aventuras entre western e os samurais de O Lobo Solitário e seu bebê. A série foi criada por John Favreau (menino dos olhos da Disney após Homem de Ferro e O rei leão) e Dave Filoni, o herdeiro autonomeado por George Lucas para dirigir seu universo criativo e que nesse ano continuará na Disney+ a série A guerra dos clones, em sua sétima temporada, sobre as Guerras Clone situadas entre os Episódios II e III. A confiança em Dave Filoni é tanta que ele acompanhou J.J. Abrams e Rian Johnson nas filmagens para aprender a dirigir ação real, após uma carreira dedicada à animação.

A série Cassian Andor também voltará ao passado, prequela de Rogue One em uma aventura que junta o espião rebelde interpretado por Diego Luna e seu androide (Alan Tudyk) antes de roubar os planos da Estrela da Morte. Será filmada em Londres em 2020. A série mais esperada das anunciadas também se situa entre os Episódios III e IV: Obi-Wan Kenobi, em que Ewan McGregor voltará ao papel do mestre jedi de Anakin e Luke Skywalker. O roteirista de Drive e The Alienist, Hossein Amini, será o responsável pelo projeto. Deborah Chow, que com The Mandalorian se transformou na primeira diretora de Star Wars, contará também o retiro como ermitão do jedi em Tatooine. É o salto definitivo da franquia às séries, que sempre viu como algo secundário, dos ewoks aos androides animados.

A futura trilogia de Rian Johnson 

Rian Johnson é uma das melhores coisas que poderiam ter acontecido a Star Wars. No Episódio VIII: os últimos Jedi quebrou algumas regras, fez da franquia algo próprio com mudanças surpreendentes e criou certos debates, mas isso não caiu bem entre o setor dos seguidores mais beligerantes (os enormes lucros do filme não importaram muito). Talvez A ascensão Skywalker se envergonhe de alguns dos aspectos mais polêmicos daquele filme, mas Johnson é, após o sucesso do original Entre facas e segredos, um dos cineastas mais cobiçados de Hollywood, e a Disney o contratou para continuar a seu lado.

Muitos são os rumores que afirmam que Johnson não filmará essa trilogia que lhe prometeram, e pouco mais se sabe além do fato de que tomará caminhos afastados dos Skywalker, mas por enquanto tudo leva a crer que seguirá adiante. Não tem datas, mas a Disney tem três estreias essenciais para seus novos filmes: 16 de dezembro, de 2022; 20 de dezembro, 2024 e 18 de dezembro, de 2026. Outro dos rumores fala de filmes sobre os Cavaleiros da república. Ele responde insistentemente que não sabe de nenhuma novidade.

O fenômeno 'Star Wars' através dos anos.Disney

Outros filmes por Kevin Feige, e vários rumores

Outro que tem filmes sendo preparados é Kevin Feige, chefe da Marvel e bem posicionado nos escritórios da Disney, pela despedida do conselheiro-executivo, Bob Iger, em 2021. E se ele tem sua visão confirmada, quem surge forte para continuar com a saga é Favreau, bem colocado nos escritórios da Disney e da Lucasfilm, de acordo com o The Hollywood Reporter. Algum deles poderá substituir Kathleen Kennedy, de 66 anos? Por enquanto, a principal executiva está trabalhando noite e dia para realizar um novo episódio, uma nova esperança, que funcione da mesma forma que os anteriores, sem nenhum dos grandes nomes ligados, muito menos John Williams.

O outro grande rumor inclui uma série sobre a Doutora Aphra, anti-heroína nascida nos quadrinhos como uma arqueóloga que trabalha tanto para os rebeldes como para Darth Vader. A Disney+ será agora o principal foco da franquia, e não seria estranho aterrissarem alguns dos personagens que ficaram no ar após A ascensão Skywalker. Star Wars termina para sempre. Isso já é quase uma tradição paradoxal. Com todos os atores do legado original mortos, na ficção e na realidade, dessa vez pode ser algo mais definitivo. Mas todos sabemos que Star Wars não morrerá nunca. Os brinquedos não se vendem sozinhos.