Sudeste dos Estados Unidos se prepara para a chegada do furacão Dorian, em câmera lenta

Dorian poderia atingir a costa na noite de segunda ou na manhã de terça. A tempestade alcançou categoria 4, com ventos de até 230 quilômetros por hora

Trabalhadores de Miami cobrem as fachadas dos edifícios ante a possível chegada do furacão Dorian.
Trabalhadores de Miami cobrem as fachadas dos edifícios ante a possível chegada do furacão Dorian. (AFP)

O comportamento de Dorian é imprevisível. Depois de ser considerado uma séria ameaça para Porto Rico, ilha que se salvou de seu trajeto, não se sabe qual cidade do sudeste dos Estados Unidos ele atingirá. Os especialistas calculavam que o furacão de categoria 4 (de um máximo de 5) chegaria à Costa Leste no domingo, mas nesta sexta-feira adiaram para segunda ou terça. O Estado da Flórida foi declarado zona de emergência, assim como 12 condados da Geórgia, mas as autoridades não deram ordem de evacuação. “A maior preocupação será a câmera lenta de Dorian quando estiver perto da Flórida, o que vai expor algumas zonas do Estado a um risco maior de um evento prolongado de ventos fortes, ondas perigosas e intensas chuvas”, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC). 

A força de Dorian passou de categoria 1 para 4 nesta sexta-feira, enquanto se deslocava sobre o Atlântico com ventos de até 230 quilômetros por hora. Embora os fortes ventos tropicais possam chegar à Flórida neste sábado, não se espera que o furacão atinja o Estado até a noite de segunda ou a manhã de terça, onde, por suas características, poderia se instalar durante vários dias. O fenômeno se encontra 645 quilômetros a leste das ilhas setentrionais das Bahamas e a 925 quilômetros de West Palm Beach (Flórida). 

MAIS INFORMAÇÕES

O governador Ron DeSantis mobilizou 2.500 soldados da Guarda Nacional, e outros 1.500 permanecem à espera de uma ordem. “O furacão Dorian se desloca lentamente e ganha força”, escreveu DeSantis no Twitter. “Agora, é o momento de se preparar e ter um plano".

Além dos fortes ventos, espera-se que as chuvas deixem entre 15 e 30 centímetros de água acumulada. “Essas chuvas podem causar inundações repentinas que coloquem as vidas em perigo”, disseram os meteorologistas do NHC. 

Há várias possibilidades sobre o trajeto do ciclone, que ganha intensidade. É altamente provável que atravesse o noroeste das Bahamas na noite de domingo. Depois disso, não há certezas. Os sistemas meteorológicos projetam que poderia atingir Orlando na noite de terça ou na manhã de quarta, enfraquecendo-se à medida que se distancia do mar. Outras projeções do NHC apontam que se dirigirá a Miami antes de chegar à península, ou seguirá para o norte até a costa da Geórgia. O governador desse Estado, Brian Kemp, assinou uma ordem executiva para que os carros possam viajar sem um limite de peso ou altura, podendo assim transportar o que for necessário em caso de emergência. 

O presidente Donald Trump cancelou sua viagem à Polônia e enviou seu vice, Mike Pence, para poder acompanhar de perto a situação do furacão. “Tudo indica que vai atingir [a costa] com muita foça e será muito grande”, disse o mandatário num vídeo que compartilhou pelo Twitter, comparando Dorian com o furacão Andrew, que arrasou milhares de casas ao sul de Miami, com ventos de 266 quilômetros por hora em 1992. 

Se Dorian chegar à Flórida já como furacão de categoria 4, seria realmente comparável a Andrew, só que a um ritmo mais lento.

Arquivado Em: