TRUMP

Trump ataca várias deputadas por sua ascendência: “Voltem para o seu país”

A democrata Nancy Pelosi censura os comentários xenofóbicos contra congressistas do seu partido

De esquerda para a direita, Alexandria Ocasio-Cortez, Rashida Tlaib e Ayanna Pressley, na sexta-feira passada no Congresso.
De esquerda para a direita, Alexandria Ocasio-Cortez, Rashida Tlaib e Ayanna Pressley, na sexta-feira passada no Congresso.WIN MCNAMEE (AFP)

Mais informações

Donald Trump atacou neste domingo quatro deputadas democratas de diferentes origens étnicas, recomendando que “voltem para os seus países” em vez de “dizer ao país mais poderoso da Terra como deve ser governado”. O presidente dos Estados Unidos se referia a um grupo de aguerridas congressistas recém-chegadas a Washington depois das eleições de novembro. A maioria delas, além disso, já nasceu nos Estados Unidos: Alexandria Ocasio-Cortez, nova-iorquina de ascendência porto-riquenha; a afro-americana Ayanna Pressley, nascida em Cincinatti e criada em Chicago; Rashida Tlaib, natural de Detroit e filha de pais palestinos; e Ihlan Omar, que migrou da Somália para os EUA ainda criança. Ganharam o apelido de “the squad” (“o esquadrão”) por seu ativismo e seus recentes enfrentamentos com a líder democrata no Capitólio, Nancy Pelosi, que censurou as palavras xenofóbicas do republicano.

Os comentários do Trump, salientando a superioridade dos EUA frente a outras nações e apontando como alvo mulheres de diferentes raças, desencadearam uma avalanche de críticas descrevendo sua atitude como supremacista e racista. “Que interessante ver as congressistas democratas ‘progressistas’, que procedem de países cujos Governos são uma completa e total catástrofe, e os piores, os mais corruptos e ineptos do mundo (nem sequer funcionam), dizerem em voz alta e com desprezo ao povo dos Estados Unidos, a maior e mais poderosa nação maior sobre a Terra, como conduzir o Governo”, publicou o republicano em sua conta no Twitter. “Por que não voltam para seus países e ajudam a arrumar esses lugares, que estão totalmente quebrados e tomados pela criminalidade. Aí voltem aqui e nos digam como se faz”, acrescentou.

Não citava nomes, mas era evidente que o ataque estava dirigido a elas por causa do comentário seguinte aludindo a Pelosi. A veterana democrata tem entrado em conflito com essas mulheres da nova geração do Partido Democrata, que muitas vezes adotam posturas divergentes em relação à maioria da formação: “Esses lugares precisam muito delas, quanto mais rápido elas forem, melhor. Tenho certeza de que Nancy Pelosi vai adorar lhes pagar a viagem!”.

Mas a presidenta da Câmara de Representantes replicou com dureza ao republicano. “Rejeito esses comentários xenófobos de Trump, que buscam dividir nosso país. Em vez de atacar congressistas, deveria trabalhar conosco por uma política migratória humana que reflita os valores norte-americanos”, disse. “Quando Trump diz que quatro congressistas norte-americanas deveriam ir embora para os seus países, reafirma que seu plano ‘Tornar a América grande de novo’ foi sempre ‘Tornar a América branca de novo’”, acrescentou. O ataque do republicano recorda os tempos em que se empenhava em questionar se Barack Obama era norte-americano nato, chegando a exigir que mostrasse sua certidão de nascimento, para deleite da direita mais radical e do seu chamado movimento “nativista”.

Os comentários de Trump foram feitos no mesmo dia em que estava prevista a detenção praticamente simultânea de até 2.000 imigrantes indocumentados com ordem de deportação. O presidente anunciou a ação em junho passado, algo insólito em uma operação policial como esta, dentro de seu discurso de pulso firme contra a imigração. O nova-iorquino, neto de um imigrante alemão, sempre ressalta que sua pressão se dirige só aos estrangeiros em situação irregular, embora ele também tenha restringido a imigração pelas vias legais.

As congressistas criticadas também responderam em peso ao magnata nova-iorquino. “Senhor presidente, o país de onde venho e pelo qual todas juramos são os Estados Unidos”, escreveu Ocasio-Cortez em sua conta do Twitter. “ESTE é o aspecto do racismo. NÓS somos o aspecto da democracia. E não vamos a lugar nenhum, só de volta a Washington, para lutar pelas famílias que você marginaliza e despreza”, disse Pressley, primeira congressista afro-americana pelo Estado de Massachusetts.

O Congresso saído das eleições legislativas de novembro é o mais diverso e o mais feminino da história. Tlaib, representante (deputada) por Michigan, e Omar, por Minnesota, se tornaram as primeiras muçulmanas da Câmara. “Você açula o nacionalismo branco porque odeia que gente como nós esteja servindo no Congresso e esteja lutando contra sua agenda cheia de ódio”, escreveu Omar.