Seleccione Edição
Login

Charlize Theron e o sexismo em ‘Mulher-Maravilha’: com 40 anos, só a queriam para fazer papel de mãe

“Hollywood me deu um tapa na cara”. A ganhadora do Oscar denuncia os padrões de discriminação que ainda dominam os grandes estúdios da meca do cinema

Charlize Theron
A atriz Charlize Theron. GTRES

Com cerca de 900 milhões de dólares (3,5 milhões de reais) arrecadados em todo o mundo, Mulher-Maravilha se tornou um dos filmes de maior bilheteria de 2017 e a grande esperança da franquia de super-heróis da DC. Tornou-se também um fenômeno social que mostrou o espírito de luta feminista dos novos tempos, retratado nos cartazes das manifestações pelos direitos das mulheres ao redor do planeta, com sua protagonista, Gal Gadot, como ícone para toda uma geração. Mas nem tudo que reluz nessa superprodução é ouro, e a atriz Charlize Theron revelou isso em um programa da televisão americana. Em plena promoção do longa-metragem Casal Improvável, no qual atua ao lado do ator Seth Rogen, a ganhadora do Oscar respondeu a uma espectadora que lhe perguntou se ela se arrependia de ter se negado a participar de um dos maiores blockbusters dos últimos tempos. Ninguém esperava, nem mesmo os executivos da Warner Bros., a sinceridade de Theron em sua confissão.

Esse é um ótimo exemplo de como Hollywood te dá um tapa na cara quando você começa a envelhecer. Alguém chegou e me disse: ‘Oh, há muita ação neste filme, Mulher-Maravilha. Queremos que esteja ciente disso’”, comentou a ganhadora do Oscar por Monster: Desejo Assassino, concluindo seu discurso com um caso sintomático do sexismo que continua dominando os escritórios dos estúdios da meca do cinema: “Eu respondi que não estava muito familiarizada com o personagem... ‘O que a Mulher-Maravilha faz?’ E foi aí que me responderam: ‘Não, é para fazer a mãe da Mulher-Maravilha’”. O caso contado por Theron no programa Watch What Happens Live é particularmente revoltante se levarmos em conta que o filme foi rodado em 2016, quando Theron fez 40 anos. Para piorar a situação, Gal Gadot, a atriz que deu vida à super-heroína, é apenas nove anos mais nova que Theron. Quem acabou interpretando a rainha Hipólita, mãe da Mulher-Maravilha, foi Connie Nielsen (53), depois que o papel também foi rejeitado por Nicole Kidman.

“Foi um momento definidor que me indicou que algo tinha mudado [em minha carreira], e eu não estava totalmente consciente disso”, explicou. Charlize Theron deu vida a alguns dos grandes papéis femininos em filmes de ação dos últimos anos, como o da imperatriz Furiosa em Mad Max: Estrada da Fúria e o de Lorraine em Atômica, que estreou no mesmo ano de Mulher-Maravilha. O negócio multimilionário dos super-heróis ainda tem uma dívida pendente na hora de propor papéis a atrizes acima da faixa dos vinte anos. Talvez seja Angelina Jolie, cuja contratação pela Marvel para protagonizar The Eternals parece iminente, aquela que acabará com esse telhado de vidro.

MAIS INFORMAÇÕES