Maduro diz a militares venezuelanos para estarem “prontos” para reagir a ataque dos EUA

O número de mortos nos protestos desde o dia 30 de abril subiu para cinco, segundo a ONU

Nicolás Maduro marcha ao lado de militares em El Pao neste sábado para demonstrar força do regime chavista, enquanto protestos contra seu Governo continuam em Caracas.
Nicolás Maduro marcha ao lado de militares em El Pao neste sábado para demonstrar força do regime chavista, enquanto protestos contra seu Governo continuam em Caracas. Miraflores Press HANDOUT (EFE)

MAIS INFORMAÇÕES

A situação na  Venezuela continua tensa e já há a confirmação de ao menos cinco mortos e 239 feridos nos protestos de opositores e apoiadores de Nicolás Maduro, segundo a ONU. Desde a última terça-feira, venezuelanos vão às ruas nesta apoiar o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó e o próprio Maduro, que buscaram nos últimos dois dias medir suas forças por meio de manifestações. Maduro, por sua vez, reconheceu que o regime precisa "urgentemente" de retificações e conclamou os venezuelanos a projetar "um grande plano de mudança". Já Leopoldo López, que está abrigado com diplomatas espanhóis, desafiou Maduro e disse que espera "mais movimento do setor militar".

Assim contamos, em tempo real, a crise da Venezuela: