Atentados no Sri Lanka

A tragédia da família do homem mais rico da Dinamarca

Anders Holch Povlsen estava em Colombo, no Sri lanka, e perdeu três de seus quatro filhos. O empresário é também o segundo maior proprietário de terras no Reino Unido

Anders Holch Povlsen e sua mulher, Anne.
Anders Holch Povlsen e sua mulher, Anne.TARIQ MIKKEL KHAN (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Anders Holch Povlsen, o bilionário dinamarquês e principal acionista do portal de moda ASOS, que perdeu três de seus filhos no atentado no Sri Lanka, é o homem mais rico do país e vem de uma família de empresários de moda. "Os três ursinhos", assim estava marcada na sexta-feira a foto de três de seus filhos, Astrid, Agnes e Alfred, tirada por Alma, a quarta filha, no Hotel Shangri-La, em Colombo. Horas depois, após o ataque que causou 290 mortes, a mesma conta se enchia de mensagens de pêsames.

A família estava de férias e pediu que lhes deixem chorar em particular. Com 47 anos, Anders é também o segundo maior proprietário de terras do Reino Unido e o segundo maior acionista da Zalando, a loja digital alemã de venda de roupas. Apesar de sua fortuna, tinha passado quase despercebido até agora porque leva uma vida discreta e seus filhos iam para escolas públicas.

"Posso confirmar que três crianças morreram. Não temos mais nada a acrescentar e pedimos respeito à família neste momento", disse Jesper Stubkier, chefe de comunicação da Bestseller. Por esta razão, não foram divulgadas nem suas idades nem que criança sobreviveu ao atentado.

O magnata Anders Holch Povlsen.
O magnata Anders Holch Povlsen.TARIQ MIKKEL KHAN (AFP)

A Bestseller é a rede fundada em 1975 por Troels e Merete, os pais de Anders, na pequena cidade de Brande, na península da Jutlândia, oeste da Dinamarca. Eles começaram em uma loja local e seu filho aprendeu o ofício desde baixo e compartilhou o esforço da família para progredir. Formado em Administração de Empresas no seu país, e também nas universidades de Anglia Ruskin, Cambridge e Berlim, em um programa conjunto europeu que permite passar vários semestres em cada uma delas, Anders herdou a Bestseller aos 28 anos. Logo se tornou o proprietário, enquanto seu pai lhe incutia outra paixão: a compra de terras para cuidar e de edifícios para restaurar. Seu pai os possui na Dinamarca e na Inglaterra. Ele prefere as Highlands, da Escócia, onde passa as férias em família. Tem um irmão, Niels, especializado em fusões e investimentos de capital, e em 2013 ficou com 10% da Zalando. Na época já detinha 27% da ASOS, e a revista Forbes calcula que tenha uma fortuna de cerca de 7 bilhões de euros (31 bilhões de reais).

Na folha profissional de serviços do empresário dinamarquês, nas poucas entrevistas que concedeu, ele enfatiza sua dedicação ao 1% das terras escocesas que possui, segundo a Forbes. Planejava realizar trabalhos de conservação florestal e da fauna em grande escala, plantando milhões de árvores e reduzindo o número de cervos, que haviam proliferado por não terem inimigos naturais. Em uma declaração ao jornal britânico The Times, admitiu que a recuperação do meio ambiente que planejava era um projeto que não poderia ser cumprido no curso de sua vida. "Espero que meus filhos e outras gerações de visitantes apaixonados pela região, como nós, possam desfrutar do local." Para gerenciar seu trabalho de preservação, fundou em 2007 com sua mulher, Anne, de 40 anos, a Wildland Limited, uma empresa cujo lema em seu site é uma frase do pintor impressionista francês Claude Monet: "Estude a natureza, ame a natureza, permaneça junto à natureza. Ela não falhará com você”.

Apesar de sua proeminente posição como fazendeiro estrangeiro, a promessa de proteger sua parte das Highlands lhe valeu o apoio da imprensa britânica, que o apelida de O grande dinamarquês e o apresenta como algo mais do que um milionário disposto a comprar caprichos apenas para investir. Entre os caçadores locais, no entanto, não tem boa reputação, porque lhes deixa menos exemplares para as temporadas de amadores com licença. Sua mulher se dedica a restaurar e decorar o interior de edifícios localizados em suas propriedades. Alguns foram transformados em pequenos hotéis do Wildland, focados no turismo que respeita o meio ambiente.

Arquivado Em: