Massacre em Escola de Suzano

Dois ex-alunos invadem escola e matam oito pessoas em Suzano

Atentado à Escola Estadual Raul Brasil deixou 10 mortos, incluindo os dois atiradores

Familiares de estudantes se desesperam com notícia de massacre em escola de Suzano.
Familiares de estudantes se desesperam com notícia de massacre em escola de Suzano.Victor Moriyama (Getty Images)

Mais informações

Dois jovens invadiram na manhã desta quarta-feira a Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, e atiraram contra os presentes, matando sete pessoas no local —uma oitava vítima foi morta antes do ataque. O massacre de Suzano deixou um total de dez mortos: cinco estudantes, a coordenadora pedagógica da instituição, a inspetora da escola e o tio de Guilherme, que era dono de uma locadora de veículos e foi morto antes do atentado à instituição de ensino público.

Os dois assassinos foram identificados como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e eram ex-alunos da escola. De acordo com a Polícia Civil, Guilherme matou com um tiro Luiz Henrique e depois se matou, totalizando dez mortos no massacre.

O crime chocou o país e é um dos mais letais da história do Brasil. Os autores do massacre usaram um revolver calibre 38, um arco e flecha, uma besta (artefato que dispara flechas), e ao menos um machadinho. Onze estudantes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram hospitalizados. Os corpos das oito vítimas serão enterrados entre esta quinta-feira, após velório coletivo, e a sexta.

As vítimas são: cinco estudantes do ensino médio (Pablo Rodrigues, Cleiton Antônio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquíades Silva de Oliveira e Douglas Celestino); duas funcionárias da escola (a coordenadora Marilena Vieira Umezo e a funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier); o dono da locadora de veículos onde eles roubaram o carro usado no crime (identificado como Jorge Antonio Morais).

Após visitar o local, o governador João Doria decretou luto oficial de três dias. O presidente Jair Bolsonaro lamentou a tragédia.