Seleccione Edição
Login

Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco e cartola da CBF, morre no Rio de Janeiro

Dirigente que marcou a história vascaína tinha 74 anos e lutava contra um tumor no cérebro

eurico miranda morte
Eurico Miranda lutava contra um câncer no cérebro. Vasco.com.br

O ex-presidente do Vasco e icônico cartola do futebol brasileiro, Eurico Miranda, morreu nesta terça-feira no hospital Vitória, zona oeste do Rio de Janeiro, aos 74 anos. O dirigente superou um câncer na bexiga e no pulmão nos anos anteriores, mas não resistiu a um tumor no cérebro diagnosticado em 2018. Eurico deu entrada no hospital na manhã desta terça em estado grave por conta de complicações no tratamento contra o câncer, e teve a morte confirmada pelo site oficial do clube cruzmaltino pouco depois das 13h (horário de Brasília).

Afastado da política vascaína desde o ano passado, quando abriu mão da candidatura à reeleição de presidente do clube após a oposição acusar o mandatário de golpe nas urnas, Eurico apresentou problemas na parte motora e dificuldade na fala em suas últimas aparições públicas. O ex-presidente se locomovia com cadeiras de rodas e necessitava de auxílio médico constante por conta da doença.

Filho de portugueses, Eurico foi o cartola mais controverso da história do Vasco da Gama, onde participava das atividades administrativas desde 1967, quando ingressou como diretor. O cartola ocupou o cargo de presidente vascaíno de 2003 a 2008 e de 2015 até o fim de 2017. Antes de ser presidente, foi por uma década o vice de futebol do clube, participando ativamente das maiores conquistas do Vasco, como o Campeonato Brasileiro em 1997 e 2000 e a Libertadores de 1998. Ele também teve uma passagem como diretor de seleções da CBF, em 1989, durante o mandato de Ricardo Teixeira, a pedido do então presidente da FIFA, João Havelange. O dirigente ainda estendeu sua influência para a política nacional e foi eleito por duas vezes deputado federal pelo Rio de Janeiro, para os mandatos de 1994 a 1998 e 1998 a 2002.

Conhecido pelas polêmicas, Eurico Miranda ganhou destaque na final da Copa João Havelange de 2000, quando, após briga na Justiça com a Rede Globo, estampou a logo da emissora concorrente SBT no uniforme para a partida transmitida pela Globo. O ídolo do Vasco e hoje senador pelo Rio de Janeiro, Romário, lamentou o falecimento através de sua conta no Twitter: "Eurico foi um dos pouquíssimos amigos que fiz no futebol. Com certeza, sentirei a falta de fumarmos um charuto juntos". O ex-meia Juninho Pernambucano, desafeto do cartola, também manifestou solidariedade à família Miranda. O clube decretou luto oficial de três dias e cancelou todas as atividades do futebol nesta terça.

MAIS INFORMAÇÕES