Incêndio no CT do Flamengo

Os dez garotos do Ninho do Urubu, o futuro interrompido do futebol brasileiro

De um goleiro trilhando caminho nas categorias de base da seleção brasileira a um jovem há apenas dois dias no CT. As histórias das vítimas que morreram na tragédia

MAIS INFORMAÇÕES

Arthur, Athila, Bernardo, Christian, Gedson, Jorge, Pablo, Rykelmo, Samuel e Vitor, todos entre 14 e 16 anos, eram o futuro do futebol brasileiro. Talentosos no esporte, eles se destacaram a ponto de ingressar logo cedo na concorrida base do Flamengo. Em meio às promessas, um goleiro com nível de seleção brasileira, um capitão do time sub-15 rubro-negro, outro capitão do time sub-17 e um garoto que chegou ao novo clube há dois dias. No mar de meninos que tenta ser profissional no Brasil, os destinos desses se cruzaram duas vezes: a primeira, ao vestir a camisa do clube mais popular do país. A segunda foi na madrugada desta sexta-feira, quando não conseguiram escapar de um incêndio que atingiu o centro de treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande, zona oeste do Rio de Janeiro.

Os jovens atletas estavam em período de atividade pós férias no clube, fazendo exames fisiológicos e de corrida. Com a última atividade da semana na quinta-feira, a maioria pôde voltar para a casa e ter o fim de semana de folga. Os que não conseguiriam ficaram no Rio e, por isso, usavam as instalações do CT; o local onde os dez estavam alojados, segundo a Prefeitura da capital e Secretaria de Defesa Civil, não possuía licença para dormitório e nem Certificado de Aprovação do Corpo de Bombeiros. Outros jogadores que dividiam a área conseguiram acordar a tempo e fugir do fogo.

O governo do Rio e a CBF declararam luto oficial de três dias e a rodada do fim de semana do campeonato carioca, na qual se enfrentariam Flamengo e Fluminense, foi adiada. A identificação das vítimas foi feita ao longo da sexta-feira, conforme o avanço do trabalho dos bombeiros no local. Três atletas ainda estão internados; Kauan Emanuel e Francisco Dyogo apresentam quadro estável e estão no Hospital Vitória. Já Jonatha Ventura, internado no hospital municipal Pedro II, tem quadro grave com queimaduras em 30% do corpo.

As vítimas:

Arthur Vinícius

Arthur, natural de Volta Redonda, no Estado do Rio de Janeiro, completaria 15 anos de idade neste sábado, dia 9 de fevereiro. O zagueiro morava com a prima, a tia e a mãe na cidade natal, mas os familiares se preparavam para viajar ao Rio para comemorar o aniversário do garoto. Arthur começou nas categorias de base do Volta Redonda, chegou no Flamengo em 2017 e, no ano passado, esteve em um período de treinamentos com a seleção brasileira sub-15.

Athila Paixão

Sergipano de Lagarto, terra de Diego Costa, Athila foi revelado pela escolinha "Geração Futuro", a mesma onde o atacante do Atlético de Madrid e seleção espanhola começou no futebol. O garoto de 14 anos era atacante e estava no Flamengo desde abril de 2018, quando foi aprovado nos testes. Na Copa Zico de 2018, competição criada pelo ex-jogador para revelar novos talentos, ele se destacou ao marcar três gols.

Bernardo Pisetta

O goleiro de 14 anos nasceu em Indaial, Santa Catarina, passou pelo futsal do Guarani de Brusque e se destacou cedo jogando em Curitiba; primeiro pelo Trieste, equipe amadora da capital paranaense, e depois pelo Athletico Paranaense, onde foi campeão estadual e goleiro menos vazado do torneio em 2017. Bernardo chegou ao Flamengo em agosto de 2018.

Christian Esmério

Um dos goleiros mais promissores do futuro flamenguista, Christian tinha 15 anos e colecionava convocações para as categorias de base da seleção brasileira. Era o único dos falecidos presente nos últimos treinos da seleção sub-15, comandada pelo treinador Dudu Patetuci, em novembro do ano passado, logo após o Flamengo vencer o campeonato estadual da categoria. Christian também era observado por clubes europeus e foi destaque da Copa Nike sub-15 de 2018, quando defendeu um pênalti na semifinal contra o Grêmio e dois na final contra o São Paulo, ajudando seu clube a vencer o torneio.

Gedson Santos

Natural de Itararé, em São Paulo, Gedinho era o que estava há menos tempo na base flamenguista. Com 14 anos, o meia foi aprovado nos testes do clube neste ano e estava há dois dias no CT do Flamengo. Antes, ele jogou por dois anos na base do Athletico Paranaense e também do Trieste, de Curitiba.

Jorge Eduardo

Jorge era volante e nasceu no município de Além Paraíba, na fronteira de Minas Gerais com Rio de Janeiro. O atleta completaria 16 anos no próximo dia 14 de fevereiro. Morou dos 12, quando chegou no Flamengo, aos 14 anos na casa de amigos, no Rio de Janeiro, e se mudou para o Ninho do Urubu quando completou os 14 anos necessários para se alojar no CT. Ele era capitão da equipe campeã carioca sub-15 no último novembro.

Pablo Henrique

Pablo nasceu na cidade de Oliveira, Minas Gerais, a 150 quilômetros de Belo Horizonte. O zagueiro de 14 anos estava há seis meses do clube e é primo do também zagueiro Werley, jogador profissional do Vasco da Gama. Pablo teve passagens pela base do Atlético Mineiro e escolinha da Inter de Milão no Brasil. Ele jogava pelo Flamengo desde agosto de 2018.

Rykelmo Viana

Última vítima a ser confirmada pelo Corpo de Bombeiros, Rykelmo tinha 16 anos e era volante e capitão da equipe sub-17 do Flamengo. Natural de Limeira, São Paulo, ele chegou ao Flamengo depois de se destacar no campeonato paulista de 2016 pela Portuguesa Santista. Rykelmo faria 17 anos no próximo dia 26 de fevereiro e é o mais velho entre os dez falecidos.

Samuel Thomas Rosa

Lateral-direito natural de São João de Meriti, no Rio de Janeiro, Samuel completaria 16 anos no dia 4 de abril. "Um clube como o Flamengo não pode colocar crianças pra dormir dentro de contêiner. Deveria ter um cuidado especial com os meninos. Essa tragédia poderia ter sido evitada", disse seu tio, Sebastião Rodrigues, em entrevista. Samuel estava no elenco campeão da Copa Nike e vice-campeão da Copa Votorantim, em janeiro de 2018.

Vitor Isaías

Camisa 9 do sub-15 do Flamengo, Vitor tinha 14 anos e nasceu em Florianópolis, Santa Catarina. O atacante começou no Figueirense e passou por Athletico Paranaense e Trieste, como Bernardo Pisetta e Gedson, antes de chegar ao Flamengo, em agosto de 2018. Conhecido como Vitinho, ele era agenciado pela empresa do ex-jogador rubro-negro, Sávio, que emitiu uma nota de pesar, na qual lamenta a tragédia ocorrida e o falecimento do seu atleta. "Aproveitamos também para informar que a empresa [Savio Soccer] está prestando todo o suporte necessário aos familiares".

Arquivado Em: