PSG treme pelo pé de Neymar

Clube francês teme que sua estrela fique afastada dos gramados pelo restante da temporada

Neymar deixa o campo machucado.
Neymar deixa o campo machucado.FRANCK FIFE (AFP)
Mais informações

O Paris Saint-Germain está se preparando para enfrentar o renascido Manchester United pelas oitavas de final da Champions League (jogo de ida em Old Trafford no dia 12 de fevereiro e jogo de volta em 6 de março), sem Neymar, sua brilhante estrela. O clube da capital francesa, presidido pelo xeque catari Nasser Al-Khelaifi, admite que o atacante brasileiro de 26 anos perderá por lesão esses dois jogos contra o time treinado por Solskjaer depois da demissão de Mourinho. Assim indicam fontes do clube francês, bastante preocupadas ao afirmar que o camisa 10 poderia ficar afastado dos gramados até o fim da temporada se decidir operar a fratura no pé direito.

Neymar sofre de uma grave reincidência de uma lesão óssea chamada pseudoartrose, de acordo com um funcionário do clube. “É a falta de consolidação de um osso depois de uma fratura prévia. Essa patologia pode ocorrer até dois anos depois do primeiro acidente ósseo e reaparecer em momentos inesperados, como no caso de Neymar”, explica ao EL PAÍS um fisioterapeuta de um clube que disputa o Campeonato Francês.

O ex-jogador do Barcelona (2013-2017) saiu da partida da Copa da França contra o Strasbourg (2 a 0) na quarta-feira passada com uma forte dor na base do pé direito, depois de uma entrada de Moataz Zemzemi. Os exames médicos feitos no hospital de Neuilly-sur-Seine revelaram que Neymar teve uma nova lesão no quinto metatarso. É o osso que quebrou em outro jogo da Copa da França, contra o Olympique de Marselha (3 a 0), em 25 de fevereiro do ano passado. Essa fratura o privou de jogar a partida de volta da segunda fase contra o Real Madrid (derrota do PSG, eliminado por 2 a 1, em 6 de março). Mas, principalmente obrigou o doutor Rodrigo Lasmar, o médico da seleção brasileira, a operá-lo com a maior rapidez, em 3 de março no Brasil, para antecipar seu retorno aos gramados para a Copa do Mundo da Rússia, que começou em junho (o Brasil acabou eliminado nas quartas de final).

Essa rapidez no protocolo de recuperação e de tratamento da primeira lesão óssea de Neymar poderia explicar sua reincidência na mesma parte do pé, da mesma forma que desencadeia todas as dúvidas no PSG sobre o tratamento para que sua maior estrela se recupere o mais rápido possível. “Todas as opções terapêuticas serão consideradas”, disse o PSG em um comunicado no qual explicou que o atacante sofreu uma “reativação dolorosa da lesão no quinto metatarso direito”.

Operar ou não

Os primeiros diagnósticos apontam que Neymar estará sem condições de jogo pelo menos até o final de março. As quartas de final da Champions League também seriam perdidas no caso de o PSG eliminar o Manchester United. Mas se o atacante brasileiro escolher a opção de passar novamente por uma cirurgia, seu afastamento poderia se alongar por cerca de quatro meses, despedindo-se assim praticamente de sua segunda temporada com as cores do clube parisiense, que o comprou por 222 milhões de euros (cerca de 821,4 milhões de reais na época) ao Barcelona no verão de 2017 e lhe paga cerca de 30 milhões de euros líquidos por ano. Enquanto isso, o PSG anunciou a contratação de Leandro Paredes, meia argentino do Zenit, de São Petersburgo, por 47 milhões de euros.

A perda de Neymar obscurece o rosto de seu treinador, o alemão Thomas Tuchel. “Vai ser muito difícil que ele jogue contra o United. Agora temos de esperar uma semana para ver como ele reage ao tratamento”, disse no sábado, depois do jogo do Campeonato Francês contra o Rennes. “Neymar está triste. Como no ano passado, começou a temporada muito bem, mas se machucou no pior momento. Estamos tentando animá-lo”, acrescentou Thiago Silva, o capitão.

Dentro do PSG, a desolação é total. E se aponta o dedo ao doutor Lasmar. Na segunda-feira, o médico da seleção brasileira foi a Paris para examinar Neymar. Em seguida, estava prevista uma reunião com seu colega do PSG, o doutor Eric Rolland, Hakim Chalabi, o diretor-adjunto da clínica carari Aspetar, e vários especialistas em ortopedia. A decisão sobre uma possível operação — a opção que o PSG privilegia, ao contrário do Brasil — está sobre a mesa. Tite, o treinador da seleção brasileira, também está em Paris. A próxima Copa América será realizada no Brasil, de 14 de junho a 7 de julho. “Perco meu emprego, mas não vou carregar essa responsabilidade de convocar Neymar machucado. Não vou sacrificar a saúde do jogador”, concluiu Tite.

Mais pressão para Neymar, mais olhares para o seu famoso quinto metatarso.

Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: