Seleccione Edição
Login

PSG treme pelo pé de Neymar

Clube francês teme que sua estrela fique afastada dos gramados pelo restante da temporada

Neymar lesao PSG operar
Neymar deixa o campo machucado. AFP

O Paris Saint-Germain está se preparando para enfrentar o renascido Manchester United pelas oitavas de final da Champions League (jogo de ida em Old Trafford no dia 12 de fevereiro e jogo de volta em 6 de março), sem Neymar, sua brilhante estrela. O clube da capital francesa, presidido pelo xeque catari Nasser Al-Khelaifi, admite que o atacante brasileiro de 26 anos perderá por lesão esses dois jogos contra o time treinado por Solskjaer depois da demissão de Mourinho. Assim indicam fontes do clube francês, bastante preocupadas ao afirmar que o camisa 10 poderia ficar afastado dos gramados até o fim da temporada se decidir operar a fratura no pé direito.

Neymar sofre de uma grave reincidência de uma lesão óssea chamada pseudoartrose, de acordo com um funcionário do clube. “É a falta de consolidação de um osso depois de uma fratura prévia. Essa patologia pode ocorrer até dois anos depois do primeiro acidente ósseo e reaparecer em momentos inesperados, como no caso de Neymar”, explica ao EL PAÍS um fisioterapeuta de um clube que disputa o Campeonato Francês.

O ex-jogador do Barcelona (2013-2017) saiu da partida da Copa da França contra o Strasbourg (2 a 0) na quarta-feira passada com uma forte dor na base do pé direito, depois de uma entrada de Moataz Zemzemi. Os exames médicos feitos no hospital de Neuilly-sur-Seine revelaram que Neymar teve uma nova lesão no quinto metatarso. É o osso que quebrou em outro jogo da Copa da França, contra o Olympique de Marselha (3 a 0), em 25 de fevereiro do ano passado. Essa fratura o privou de jogar a partida de volta da segunda fase contra o Real Madrid (derrota do PSG, eliminado por 2 a 1, em 6 de março). Mas, principalmente obrigou o doutor Rodrigo Lasmar, o médico da seleção brasileira, a operá-lo com a maior rapidez, em 3 de março no Brasil, para antecipar seu retorno aos gramados para a Copa do Mundo da Rússia, que começou em junho (o Brasil acabou eliminado nas quartas de final).

Essa rapidez no protocolo de recuperação e de tratamento da primeira lesão óssea de Neymar poderia explicar sua reincidência na mesma parte do pé, da mesma forma que desencadeia todas as dúvidas no PSG sobre o tratamento para que sua maior estrela se recupere o mais rápido possível. “Todas as opções terapêuticas serão consideradas”, disse o PSG em um comunicado no qual explicou que o atacante sofreu uma “reativação dolorosa da lesão no quinto metatarso direito”.

Operar ou não

Os primeiros diagnósticos apontam que Neymar estará sem condições de jogo pelo menos até o final de março. As quartas de final da Champions League também seriam perdidas no caso de o PSG eliminar o Manchester United. Mas se o atacante brasileiro escolher a opção de passar novamente por uma cirurgia, seu afastamento poderia se alongar por cerca de quatro meses, despedindo-se assim praticamente de sua segunda temporada com as cores do clube parisiense, que o comprou por 222 milhões de euros (cerca de 821,4 milhões de reais na época) ao Barcelona no verão de 2017 e lhe paga cerca de 30 milhões de euros líquidos por ano. Enquanto isso, o PSG anunciou a contratação de Leandro Paredes, meia argentino do Zenit, de São Petersburgo, por 47 milhões de euros.

A perda de Neymar obscurece o rosto de seu treinador, o alemão Thomas Tuchel. “Vai ser muito difícil que ele jogue contra o United. Agora temos de esperar uma semana para ver como ele reage ao tratamento”, disse no sábado, depois do jogo do Campeonato Francês contra o Rennes. “Neymar está triste. Como no ano passado, começou a temporada muito bem, mas se machucou no pior momento. Estamos tentando animá-lo”, acrescentou Thiago Silva, o capitão.

Dentro do PSG, a desolação é total. E se aponta o dedo ao doutor Lasmar. Na segunda-feira, o médico da seleção brasileira foi a Paris para examinar Neymar. Em seguida, estava prevista uma reunião com seu colega do PSG, o doutor Eric Rolland, Hakim Chalabi, o diretor-adjunto da clínica carari Aspetar, e vários especialistas em ortopedia. A decisão sobre uma possível operação — a opção que o PSG privilegia, ao contrário do Brasil — está sobre a mesa. Tite, o treinador da seleção brasileira, também está em Paris. A próxima Copa América será realizada no Brasil, de 14 de junho a 7 de julho. “Perco meu emprego, mas não vou carregar essa responsabilidade de convocar Neymar machucado. Não vou sacrificar a saúde do jogador”, concluiu Tite.

Mais pressão para Neymar, mais olhares para o seu famoso quinto metatarso.

MAIS INFORMAÇÕES