Cinema

‘Roma’ comentado por Guillermo del Toro em dez tuítes

O premiado diretor mexicano compartilha suas observações do último filme de seu 'compadre', Cuarón

"Tudo vem e vai: solidariedade, amor, a vida... e só às vezes podemos nos abraçar junto ao oceano", diz Guillermo Del Touro sobre esta cena
"Tudo vem e vai: solidariedade, amor, a vida... e só às vezes podemos nos abraçar junto ao oceano", diz Guillermo Del Touro sobre esta cenaNetflix

Alfonso Cuarón, Guillermo del Toro e Alejandro González Iñárritu formam o trio de cineastas mexicanos mais premiados da história. Cada um dos três amigos (como são chamados pela imprensa internacional especializada) ganhou o Oscar de melhor diretor nos últimos cinco anos com os filmes Gravidade (Cuarón, 2014); Birdman e O Regresso (Iñarritu, 2015 e 2016); e A Forma da Água (Del Toro, 2018).

Em 2019, Cuarón é novamente apontado como um dos favoritos a levar uma estatueta por seu filme Roma, que arrebatou a crítica e já levou o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro. Vencedor do Oscar mais recente, Del Toro usou o Twitter para fazer sua crítica pessoal à obra mais recente do amigo, produzida pela Netflix.

A seguir, reunimos os tuítes em que o diretor comenta o filme, no que ele chamou de "observações pessoais" sobre a obra de Cuarón. Atenção: os comentários de Guillermo Del Toro contém spoilers.

Abraçar-se junto ao mar
Abraçar-se junto ao marNetflix
Imagem final à que faz referência Do Touro
Imagem final à que faz referência Do TouroNetflix
Fotogramas de 'Gravity' (acima), 'Os filhos do homem' (esquerda inferior) e 'E tua mamãe também' (direita inferior)
Fotogramas de 'Gravity' (acima), 'Os filhos do homem' (esquerda inferior) e 'E tua mamãe também' (direita inferior)Estudios
O plano inicial ao que faz referência Do Touro.
O plano inicial ao que faz referência Do Touro.Netflix
Toda a família e Cleotilde
Toda a família e CleotildeNetflix
A sequência à que faz referência Do Touro
A sequência à que faz referência Do TouroNetflix

Amizade a três

A amizade de Iñárritu, Del Toro e Cuarón chega ao ponto de um cineasta mencionar o outro em seus discursos de agradecimento em premiações como o Oscar e o Globo de Ouro.

O trio também não poupa elogios mútuos em entrevistas e frequentemente se felicitam apelas redes sociais. Todos esbanjam sua mexicanidade publicamente, mas evitam falar de um boom mexicano, como bem mencionou Iñárritu ao receber o Oscar 2015 por Birdman, que incluiu o cineasta Carlos Reygadas entre os diretores do México em sincronia com esse bom momento do grupo.