Entrevista com Nem da Rocinha fica entre as 100 reportagens mais lidas do mundo em 2018

Perfil do traficante feito com exclusividade pelo EL PAÍS foi um dos que mais mobilizou internautas segundo a ferramenta Chartbeat

Nem da Rocinha, após ser preso no Rio.
Nem da Rocinha, após ser preso no Rio.prisa

MAIS INFORMAÇÕES

De acordo com o ranking do Chartbeat, a notícia da morte do chef Anthony Bourdain, publicada no site da CNN, foi a que mais mobilizou as redes, seguida por um artigo anônimo publicado no The New York Times sobre a administração do presidente Donald Trump. Em terceiro colocado ficou o blog da BBC sobre o Brexit.

A reportagem ‘Nem da Rocinha: “Não me arrependo de ter sido traficante. O que você faria no meu lugar?”’ foi publicada em 14 de março, após Gil Alessi ter realizado uma entrevista de duas horas com o traficante na penitenciária federal de Porto Velho, em Rondônia. Lá, o ex-chefão da facção Amigos dos Amigos cumpre penas que somam mais de 96 anos por tráfico de drogas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, e gasta seu tempo jogando xadrez dentro de sua cela. A reportagem ficou em 88º lugar no ranking do Chartbeat, que valoriza o tempo dedicado a ler as publicações jornalísticas, e não  apenas o compartilhamento. Na contagem da ferramenta, os leitores passaram 6,5 milhões de minutos lendo a reportagem do EL PAÍS ou pouco mais de 108.000 horas. No dia em que foi ao ar, o termo "Nem da Rocinha" foi o assunto mais tuitado no Brasil, liderando o trending topics nacional. No total a reportagem foi lida por mais de 1,8 milhão de pessoas (navegadores únicos).

Além da reportagem do EL PAÍS, outras cinco matérias de veículos brasileiros constam no levantamento, a maioria delas sobre os resultados das eleições, publicados pelos portais G1 e UOL.

Arquivado Em: