Seleccione Edição
Login
Quênia realiza concurso para eleger a Miss e o Mister Albino

Quênia realiza concurso para eleger a Miss e o Mister Albino

19 fotos

Nairóbi realizou um desfile de moda para pessoas albinas, uma verdadeira festa da integração para defender a dignidade de um grupo constantemente descriminado

  • Maquiadora passa blush sobre as bochechas de Elsie Mutheu, 6, pouco antes dela participar do concurso Miss Albinismo África Oriental em Nairobi, (Quênia), uma verdadeira festa pela integração e normalização, celebrada no final de novembro de 2018. Um total de 30 participantes do Quênia, Tanzânia e Uganda competiram sob o tema 'Celebrando a beleza da cor', em um concurso cujo objetivo é sensibilizar a sociedade sobre os enormes obstáculos que as pessoas albinas passam, incluindo o estigma e a violência.
    1Maquiadora passa blush sobre as bochechas de Elsie Mutheu, 6, pouco antes dela participar do concurso Miss Albinismo África Oriental em Nairobi, (Quênia), uma verdadeira festa pela integração e normalização, celebrada no final de novembro de 2018. Um total de 30 participantes do Quênia, Tanzânia e Uganda competiram sob o tema 'Celebrando a beleza da cor', em um concurso cujo objetivo é sensibilizar a sociedade sobre os enormes obstáculos que as pessoas albinas passam, incluindo o estigma e a violência. AFP
  • Uma criança albina posa em um sofá junto a outros dois participantes antes do concurso de Mister e Miss Albinismo.
    2Uma criança albina posa em um sofá junto a outros dois participantes antes do concurso de Mister e Miss Albinismo. EFE
  • Uma mulher tira uma selfie com as jovens modelos albinas Shirlyne Wangari e Rebecca Zawadi. O concurso, que teve 30 participantes, foi organizado pela Sociedade de Albinismo do Quênia.
    3Uma mulher tira uma selfie com as jovens modelos albinas Shirlyne Wangari e Rebecca Zawadi. O concurso, que teve 30 participantes, foi organizado pela Sociedade de Albinismo do Quênia. REUTERS
  • Jovem passa por tratamento de beleza antes do concurso Miss e Mister Albinismo. Os ganhadores levaram prêmios em dinheiro e atuarão como embaixadores das organizações sociais durante um ano.
    4Jovem passa por tratamento de beleza antes do concurso Miss e Mister Albinismo. Os ganhadores levaram prêmios em dinheiro e atuarão como embaixadores das organizações sociais durante um ano. REUTERS
  • Pés branquíssimos e saltos altíssimos, prontos para desfilar pela passarela.
    5Pés branquíssimos e saltos altíssimos, prontos para desfilar pela passarela. REUTERS
  • Várias mulheres formam uma fila para desfilar pela passarela do concurso de Miss e Mister Albino. O albinismo é uma condição hereditária rara, que implica a falta de pigmentação no cabelo, na pele e nos olhos, causando vulnerabilidade ao sol e à luz intensa.
    6Várias mulheres formam uma fila para desfilar pela passarela do concurso de Miss e Mister Albino. O albinismo é uma condição hereditária rara, que implica a falta de pigmentação no cabelo, na pele e nos olhos, causando vulnerabilidade ao sol e à luz intensa. EFE
  • Uma das participantes ajusta sua tiara de búzios antes do desfile. A África subsaariana é o lugar do mundo com o maior número de albinos. A ONU calcula uma média de 1 a cada 5.000 a 15.000 nascimentos. Na Tanzânia e no Zimbábue a presença é ainda maior.
    7Uma das participantes ajusta sua tiara de búzios antes do desfile. A África subsaariana é o lugar do mundo com o maior número de albinos. A ONU calcula uma média de 1 a cada 5.000 a 15.000 nascimentos. Na Tanzânia e no Zimbábue a presença é ainda maior. AFP
  • Homens albinos esperam o início do desfile.
    8Homens albinos esperam o início do desfile. EFE
  • De esquerda a direita, as crianças albinas Elsie Lynn, de seis anos; Shirlyn, de de sete, e Rebecca Zawadi, de oito, posam para um fotógrafo atrás do palco antes de desfilar pela passarela.
    9De esquerda a direita, as crianças albinas Elsie Lynn, de seis anos; Shirlyn, de de sete, e Rebecca Zawadi, de oito, posam para um fotógrafo atrás do palco antes de desfilar pela passarela. EFE
  • O concorrente queniano Clinton Ontita posa para a foto. As pessoas com albinismo são atacadas em rituais e até assassinadas em alguns países africanos devido a uma crença falsa: que as partes de seu corpo servem para fabricar poções mágicas com diversos fins.
    10O concorrente queniano Clinton Ontita posa para a foto. As pessoas com albinismo são atacadas em rituais e até assassinadas em alguns países africanos devido a uma crença falsa: que as partes de seu corpo servem para fabricar poções mágicas com diversos fins. AFP
  • Uma participante com um traje tradicional composto por peles de animais desfila durante o concurso de Miss e Mister Albinismo. Segundo o jornal de Moçambique 'Journal de Domingo', um só osso de albino pode valer cerca de 1.000 euros, e um recente relatório de Nações Unidas afirma que um “jogo completo” pode alcançar os 60.000.
    11Uma participante com um traje tradicional composto por peles de animais desfila durante o concurso de Miss e Mister Albinismo. Segundo o jornal de Moçambique 'Journal de Domingo', um só osso de albino pode valer cerca de 1.000 euros, e um recente relatório de Nações Unidas afirma que um “jogo completo” pode alcançar os 60.000. AP
  • Uma participante posa durante o desfile com um adereço típico da tribo Masai, no Quênia. As mulheres com albinismo são vítimas de ataques sexuais pela crença de que as relações com elas podem curar a Aids.
    12Uma participante posa durante o desfile com um adereço típico da tribo Masai, no Quênia. As mulheres com albinismo são vítimas de ataques sexuais pela crença de que as relações com elas podem curar a Aids. REUTERS
  • Emmanuel Silas, da Tanzânia, desfila pela passarela vestido com um cobertor da tribo Masai. O concurso, que pretende superar o estigma que os albinos enfrentam, destacou o tema 'Me aceite, me incluia'.
    13Emmanuel Silas, da Tanzânia, desfila pela passarela vestido com um cobertor da tribo Masai. O concurso, que pretende superar o estigma que os albinos enfrentam, destacou o tema 'Me aceite, me incluia'. AFP
  • A pequena Rebecca Zawadi, de oito anos, enquanto desfila pela passarela.
    14A pequena Rebecca Zawadi, de oito anos, enquanto desfila pela passarela. REUTERS
  • Rabecca Zawadi, de oito anos, é modelo apesar da sua curta idade, e já sabe posar para a foto.
    15Rabecca Zawadi, de oito anos, é modelo apesar da sua curta idade, e já sabe posar para a foto. AFP
  • Um participante desfila com um traje tradicional. Pessoas com albinismo apresentam maior risco de lesões cutâneas por exposição à luz solar, e com frequência sofrem de câncer de pele prematuro.
    16Um participante desfila com um traje tradicional. Pessoas com albinismo apresentam maior risco de lesões cutâneas por exposição à luz solar, e com frequência sofrem de câncer de pele prematuro. EFE
  • Um competidor desfila pela passarela. É comum em países subsaarianos que as pessoas com albinismo não tenham acesso à informação sobre como se proteger do sol e também não disponham de profissionais e nem de equipamentos adequados para realizar certas operações. Eles necessitam de protetor solar com fatores altos e de roupas e óculos de sol também com filtros. Mas, em muitos casos, esses artigos são considerados de luxo.
    17Um competidor desfila pela passarela. É comum em países subsaarianos que as pessoas com albinismo não tenham acesso à informação sobre como se proteger do sol e também não disponham de profissionais e nem de equipamentos adequados para realizar certas operações. Eles necessitam de protetor solar com fatores altos e de roupas e óculos de sol também com filtros. Mas, em muitos casos, esses artigos são considerados de luxo. REUTERS
  • O concorrente número 11 desfila e atua na passarela com traje tradicional de peles e armas. Todas as superstições que rodeiam o universo dos albinos fazem com que eles fiquem isolados e escondidos para que não sofram sequestros ou assassinatos, o que complica qualquer ação de ajuda.
    18O concorrente número 11 desfila e atua na passarela com traje tradicional de peles e armas. Todas as superstições que rodeiam o universo dos albinos fazem com que eles fiquem isolados e escondidos para que não sofram sequestros ou assassinatos, o que complica qualquer ação de ajuda. EFE
  • Durante o concurso também se dança, como esses dois concorrentes que dançaram na contramão do estigma e a favor da inclusão das pessoas com albinismo na África.
    19Durante o concurso também se dança, como esses dois concorrentes que dançaram na contramão do estigma e a favor da inclusão das pessoas com albinismo na África. EFE