Terremoto de magnitude 6,1 mata três e deixa dezenas de feridos no Japão

Cidades de Osaka e Takatsuki foram atingidas; autoridades não descartam vítimas sob escombros

Policial examina cratera aberta pelo terremoto em uma rua de Takatsuki, ao norte de Osaka, na manhã desta segunda-feira
Policial examina cratera aberta pelo terremoto em uma rua de Takatsuki, ao norte de Osaka, na manhã desta segunda-feiraSTR (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Pelo menos três pessoas morreram e várias dezenas ficaram feridas na queda de diversos edifícios em Osaka, a segunda maior cidade do Japão, depois de um terremoto de magnitude 6,1 graus registrado no oeste do país, num horário em que milhares de pessoas se dirigiam aos seus locais de trabalho. O sismo deixou 170.000 residências sem energia elétrica, interrompeu o serviço ferroviário e provocou numerosos incêndios. As autoridades japonesas dizem que nenhuma das usinas nucleares do país foi afetada.

O porta-voz do Executivo nacional, Yoshihide Suga, informou em entrevista coletiva que pelo menos três pessoas morreram devido ao sismo, enquanto a emissora pública NHK fala em pelo menos 61 feridos, sendo 30 deles na cidade de Osaka. Os três mortos confirmados são uma menina de nove anos que faleceu devido ao desmoronamento de um muro em um colégio na localidade de Takatsuki (prefeitura de Osaka), um homem de 85 que foi atingido por uma estante em sua casa, em Ibaraki (na mesma prefeitura), e outro idoso de 80 que ficou sepultado sob uma parede que caiu em Osaka.

O sismo ocorreu às 7h58 desta segunda (20h58 de domingo em Brasília), com foco a 13 quilômetros de profundidade na prefeitura de Osaka, na ilha do Honshu – a maior do arquipélago nipônico –,500 quilômetros a oeste de Tóquio,segundo a Agência Meteorológica do Japão (JMA).

O sismo, que não resultou na ativação do alerta de tsunamis, alcançou o nível 6 baixo na escala japonesa fechada de 7 graus (centrada no grau de agitação na superfície) na prefeitura da Osaka, e de 5 alto na vizinha prefeitura de Kyoto. A JMA inicialmente estimou a magnitude do terremoto em 5,9, com foco 10 quilômetros abaixo da superfície, mas atualizou os dados horas depois.

Vários edifícios nas cidades de Osaka e Takatsuki caíram e pegaram fogo, como mostram imagens emitidas pela NHK, que informou que poderia haver pessoas sob os escombros. Além disso, algumas estradas ficaram alagadas.

O tremor causou a suspensão do serviço do trem-bala na região, assim como dos serviços ferroviários locais nas prefeituras de Osaka, Shiga, Hyogo, Kyoto e Nara. O abastecimento elétrico já foi restabelecido na região afetada. Segundo a empresa Elétrica Kansai, não foram registadas anomalias em nenhuma das usinas nucleares de Mihama, Takahama e Ohi, que são as que fornecem energia à região. A Daihatsu Motor CO., uma das fábricas do grupo Toyota na região, suspendeu sua produção enquanto seus operários avaliavam o estado das instalações.

O aeroporto Internacional de Kansai (Osaka), o mais importante do oeste do Japão, foi reaberto depois de confirmado o bom estado de suas pistas, mas no segundo principal aeroporto dessa cidade, 41 voos teriam sido cancelados. Segundo a Agência Meteorológica japonesa, este é o terremoto mais intenso na prefeitura de Osaka desde o início dos registros, em 1923.

O Japão fica sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência, razão pela qual suas infraestruturas estão especialmente projetadas para suportar os tremores.

Arquivado Em: