Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Tremor de terra é sentido em diferentes cidades brasileiras

Prédios na região central de São Paulo tiveram que ser evacuados, Brasília também registrou tremores

Funcionários do Tribunal de Contas do Município de São Paulo tiveram de evacuar o prédio
Funcionários do Tribunal de Contas do Município de São Paulo tiveram de evacuar o prédio

Na manhã desta segunda-feira, um terremoto de magnitude de 6,8 que atingiu o sul da Bolívia, segundo medição do Serviço Geológico dos Estados Unidos, foi sentido em uma série de cidades brasileiras, em diferentes regiões. Há relatos de tremores ao menos em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Rio Grande do Sul. Na capital paulista, alguns prédios na região da Avenida Paulista e Centro foram evacuados. Nenhum dano físico nas construções foi registrado até agora. Também não há vítimas.

Na cidade de São Paulo, prédios como os da sede da reitoria da Universidade São Paulo (USP), o edifício da Petrobras, o Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM-SP) e o Ministério Público de São Paulo foram evacuados e receberam avaliações do corpo de bombeiros. Prédios residências também foram esvaziados em diferentes zonas da cidade. Na capital federal, o tremor foi sentido em ao menos três locais diferentes.

"Balançou tudo, computador, mesa e as janelas fizeram uma barulho muito forte, porque ficaram batendo contra o batente", conta o atual presidente do TCM-SP, João Antônio, que teve de evacuar o edifício junto com o pessoal de seu gabinete. Após alguns minutos, contudo, a defensoria civil e os bombeiros civis que trabalham no próprio edifício, liberaram a reentrada.

Na Avenida Paulista, o arquiteto Denis Joelsons, que mora no 23º andar, também sentiu o tremor. "As roupas estavam balançando dentro do armário, o varal também estava balançando. Como não tinha vento, achei que estava com labirintite", narra.

Região do epicentro do terremoto, na Bolívia
Região do epicentro do terremoto, na Bolívia

O capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiro em São Paulo, disse em entrevista à GloboNews que os bombeiros receberam ligações para relatar tremores em diferentes localidades. Segundo o capitão, vistorias serão feitas em locais públicos e particulares para procurar indícios de rachaduras.

O epicentro do terremoto na Bolívia aconteceu a 209 quilômetro de Tarija, uma cidade no sul do país, próxima da fronteira com Paraguai e Argentina. Segundo a agência de notícias EFE, não há vítimas ou danos materiais consideráveis. O tremor foi sentido na capital La Paz, em Cochamba e outras cidades bolivianas. O Observatório San Calixto, referência na medição de sismos na Bolívia, diz que o tremor foi de 6,6.

MAIS INFORMAÇÕES