Cuba recupera uma das caixas-pretas do avião que caiu em Havana

Todos os corpos das 110 vítimas já foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal da capital cubana

Parentes de vítimas do acidente aéreo choraram e se abraçaram na porta do necrotério.
Parentes de vítimas do acidente aéreo choraram e se abraçaram na porta do necrotério. Ramon Espinosa (AP)

Mais informações

Especialistas cubanos conseguiram recuperar "em boas condições" uma das caixas-pretas do avião que caiu, nesta sexta-feira, perto de Havana (Cuba), com mais de 100 pessoas a bordo, segundo informou o ministro de Transporte de Cuba, Adel Yzquierdo. O Boeing 737, operado pela Cubana de Aviación, caiu às 12.08 hora local, pouco depois depois de decolar, matando 110 das 113 pessoas que estavam a bordo. Apesar da maioria das vítimas ser de Cuba, há entre os mortos estrangeiros, entre eles mexicanos e argentinos. 

"Já temos uma caixa-preta em mãos, em boas condições, bom estado de conservação, e devemos conseguir a outra nas próximas horas. Elas irão para a comissão criada para analisar as causas do acidente", explicou o ministro em entrevista à emissora estatal cubana.

O ministro informou ainda que todos os corpos das vítimas já foram levados para o Instituto de Medicina Legal de Havana. Até o momento, apenas dez corpos foram identificados. "Já temos a lista de passageiros, vamos publicá-la nas próximas horas", disse Yzquierdo.

Angustiados, parentes de vítimas choraram e se abraçaram na porta do necrotério, onde deram informações sobre seus entes queridos a autoridades para ajudar no processo de identificação. O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, visitou neste sábado o necrotério. O acidente é o primeiro grande teste de sua presidência depois de assumir o cargo passado por Raúl Castro no mês passado. Na sexta-feira ele também visitou o local onde caiu o avião.

Investigadores cubanos estavam trabalhando sem parar no local do acidente, uma região agrícola 20 quilômetros ao sul de Havana, remexendo os destroços incendiados da aeronave em busca de evidências, disseram autoridades cubanas.

Sobrevivente em estado grave

Três mulheres sobreviveram ao acidente, o pior em Cuba em quase 30 anos, mas estavam em estado grave, tendo sofrido queimaduras e outros traumas, segundo disse neste sábado o diretor do hospital em Havana onde elas estão sendo atendidas.