Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Bandeira de Mello: “Não acho correto que as pessoas usem cargos políticos para favorecer seus clubes”

Presidente do Flamengo reitera apoio a Marina Silva, mas não confirma filiação à Rede

Bandeira de Mello durante apresentação do goleiro Júlio César.
Bandeira de Mello durante apresentação do goleiro Júlio César. Reprodução/Flamengo

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, nega ter se filiado à Rede Sustentabilidade, partido da pré-candidata à presidência da República Marina Silva, para concorrer a um cargo no Legislativo. A informação de que ele teria encampado uma incursão pela política visando disputar as eleições de 2018 foi publicada pelo jornal O Globo no último sábado, dia 24. “Foi muita precipitação. Não me filiei a partido nenhum”, diz o presidente em contato com o EL PAÍS.

A foto que deu origem à especulação, publicada também pelo O Globo, tem Bandeira de Mello ao lado de Marina Silva no que teria sido o almoço que sacramentou a filiação do mandatário rubro-negro. “A única coisa pública é que vou votar mais uma vez na Marina”, afirma. O presidente encerra, em dezembro deste ano, seu segundo mandato no Flamengo e, pelo estatuto do clube, não pode se candidatar pela terceira vez seguida. “Não existe nada definido quanto ao que farei ano que vem. Estou focado no trabalho aqui no Flamengo e meu objetivo é somente dar o máximo para colocar o clube no topo”.

Embora não rechace a possibilidade de concorrer a um cargo público, ajudar de alguma forma o Flamengo no campo da política está fora dos planos do presidente caso venha a ser eleito. “Não acho correto que as pessoas usem cargos políticos para se favorecer pessoalmente, ou favorecer seus clubes”, ressalta. “O Flamengo, assim como outros grandes clubes, não precisa de favores para chegar onde ele deve chegar”.

MAIS INFORMAÇÕES