Cristiane Brasil, derrotada após semanas de bloqueio na Justiça

PTB desiste de indicar a deputada federal, filha de Roberto Jefferson, para o Ministério do Trabalho

Cristiane Brasil no Congresso Nacional em maio de 2017.
Cristiane Brasil no Congresso Nacional em maio de 2017.Lúcio Bernardo Junior (Câmara dos Deputados)

Mais informações

Roberto Jefferson havia prometido "levar até o fim" a indicação de sua filha para o Ministério do Trabalho. Após sete semanas de incertezas, contudo, o PTB decidiu se render e declinar da indicação da deputada federal Cristiane Brasil (RJ) para comandar a pasta. O anúncio foi feito pelo presidente da legenda. "Diante da indecisão da ministra Cármen Lúcia em não julgar o mérito neste 1º semestre, o PTB declina da indicação", escreveu Jefferson em seu perfil no Twitter.

O líder partidário se refere ao bloqueio da posse de sua filha pela Justiça, iniciado no dia 8 de janeiro pelo juiz federal Leonardo da Costa Couceiro, que acatou um questionamento sobre a "moralidade administrativa" da deputada. Esse impedimento foi referendado na segunda instância e derrubado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas voltou a valer após cair na mão da presidenta do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, no fim de janeiro.

A presidenta do tribunal decidiu que é o STF que terá a última palavra sobre o caso, mas não marcou o julgamento, prolongando o limbo da deputada do PTB. O caso se tornou exemplar do agravamento da disputa entre o Executivo e o Judiciário. O impedimento de Cristiane, para os críticos do ativismo dos tribunais, viola a prerrogativa do presidente de nomear seus ministros.

As acusações

A ação contra a deputada se baseia em problemas da deputada com a Justiça trabalhista, numa novela judicial que teve seu ápice público na aparição da quase-ministra com amigos empresários sem camisa em um barco. Ao comentar a desistência no Twitter, Jefferson disse que "a decisão do partido visa proteger a integridade de Cristiane e não deixar parada a administração do ministério".

O presidente do PTB agradeceu ao presidente Michel Temer "e aos companheiros do partido pelo apoio e respeito com Cristiane Brasil durante esse período de caça às bruxas". O anúncio da desistência vem no rastro da mudança de pauta do Governo federal, que trocou os esforços que vinha sendo feitos na tentativa de aprovar a reforma da Previdência para tratar da intervenção federal no Rio de Janeiro.