FC BARCELONA

Philippe Coutinho, enfim, no Barcelona: “Estou vivendo um sonho”

Em suas primeiras palavras como jogador do Barça, o brasileiro, que ficará afastado por 20 dias devido a uma lesão, agradece ao clube pelo esforço e paciência

Coutinho é apresentado à torcida azul-grená no Camp Nou.
Coutinho é apresentado à torcida azul-grená no Camp Nou.David Ramos (Getty Images)

Chegou ao Camp Nou acompanhado de toda a família. E agradeceu a Deus porque seus sonhos se tornaram realidade. Estilo brasileiro, apesar de sua discrição. Philippe Coutinho apareceu na Sala Roma ao lado do presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, por volta das 13h (10h de Brasília) e após ter assinado seu contrato com o Barcelona, assumindo um novo desafio no clube ao qual chega com uma lesão – não poderá jogar nas próximas três semanas. O jogador brasileiro, de 25 anos, assinou um acordo de cinco temporadas com o Barça. Sua cláusula de rescisão foi fixada em 400 milhões de euros (1,5 bilhão de reais), uma fortuna em linha com o que foi desembolsado: 160 milhões de euros (620 milhões de reais), o que o torna o jogador mais caro na história do Barça e da Liga após os 145 milhões de euros pagos por Dembélé em agosto.

Mais informações

Na época começaram as negociações com o Liverpool, que se recusava a abrir mão do meia-atacante. Assim afirmou o presidente do Barça, também agradecendo o clube inglês que finalmente se sentou para conversar sobre a milionária transferência. Isso ocorreu, como explicado posteriormente pelo vice-presidente Jordi Mestre, depois de aceitar “uma redução substancial” em relação aos 200 milhões de euros exigidos naquele momento. O Liverpool, claro, finalmente teve 160 poderosas razões (números não confirmados pelo Barça por desejo expresso do clube inglês) para chegar a um acordo com o Barcelona: “Desde o verão passado [meados de 2017] estávamos tentando que Coutinho viesse jogar com a gente. Há muito tempo toda a nossa equipe técnica dizia que devíamos incorporá-lo ao Barcelona. Não foi fácil. Mas tivemos uma coisa muito boa: ele estava feliz por vir. Sua vontade e paciência foram determinantes para que estivesse aqui hoje”, afirmou Bartomeu.

E, como o presidente fazia o discurso em catalão, quis ter certeza de que o recém-chegado, que vestiu primeiro, há alguns anos, a camisa do Espanyol, entendia sua gratidão: “Queríamos agradecer sua determinação e vontade que tinha de vir”. Então, o jogador respondeu em um castelhano mais do que correto: “Quero agradecer ao presidente por todo o esforço e paciência. Estou muito feliz por chegar aqui. É meu sonho. Espero corresponder a todas as expectativas no campo”.

Mas, por enquanto, os torcedores do time blaugrana terão que se contentar com as embaixadinhas e a roda de bobinho que protagonizou por alguns minutos com os garotos da base do Barça no Camp Nou. Ele saudou os presentes, atendeu a alguns torcedores no campo, posou para fotos e se despediu. Vai demorar para voltar a vestir o uniforme no estádio. Os serviços médicos, após os exames antes da assinatura do contrato, confirmaram que ele realmente teve uma “lesão evolutiva no reto anterior da coxa direita”. Ficará cerca de 20 dias em tratamento.

Na coletiva de imprensa posterior, Coutinho falou sobre o quão difíceis foram os seis meses de espera e negociações, explicou que o Liverpool queria convencê-lo a ficar e, finalmente, agradeceu os diretores dos Reds pelo acordo: “Desde o início, deixei claro meu desejo de vir aqui. Eles tentaram de tudo, mas no final entenderam bem que este era o meu sonho e o que eu queria para mim e para a minha família”.

O brasileiro, que no domingo assistiu à partida do Barcelona em seu quarto de hotel, afirmou também que nunca teve dúvidas, embora chegar no mercado de inverno europeu o impedirá de jogar a Champions League pela equipe culé. E quis se certificar que, quando falava sobre sonhos, não fazia isso em vão: “Sonhei em marcar um gol aqui, com o momento em que marque o primeiro gol, um gol importante. Sonhei muitas vezes em vestir esta camisa”.

Coutinho, em sua apresentação no Camp Nou.
Coutinho, em sua apresentação no Camp Nou.Enric Fontcuberta (EFE)

Coutinho esteve no centro de treinamentos na manhã desta segunda-feira, onde conheceu as instalações e foi apresentado aos novos colegas, alguns dos quais são bons amigos, como Paulinho ou, especialmente, Luis Suárez, que, segundo Coutinho, ficou lhe escrevendo todo esse tempo para finalmente convencê-lo. Também havia conversado com Neymar, amigo e parceiro na seleção, que o parabenizou. “E falou sobre a cidade, sobre os colegas e que o vestiário é incrível”, disse.

Encantado por se reencontrar com os amigos, ansioso para jogar com Messi e feliz porque, fazendo referência a Iniesta – “Para mim, é um gênio” –, não quis revelar a posição que preferiria jogar. “O que eu gosto é de jogar; sobre as posições, é mais coisa do treinador”. Boa maneira de começar.