Seleccione Edição
Login

Barcelona contrata Philippe Coutinho por 160 milhões de euros

O jogador brasileiro será azul-grená por cinco temporadas e se transforma na contratação mais cara da história do clube, superando os 145 milhões de euros de Dembélé

Philippe Coutinho em um jogo pelo Liverpool Ampliar foto
Philippe Coutinho em um jogo pelo Liverpool AFP

O Barcelona anunciou neste sábado a contratação de Philippe Coutinho (Rio do Janeiro, 25 anos), que será jogador do clube azul-grená durante os próximos cinco anos. Sua multa rescisória foi fixada em 400 milhões de euros (1,5 bilhão de reais). O clube fecha assim, finalmente, o negócio que não pôde concluir há cinco meses. O acordo e a assinatura se materializaram neste sábado à tarde, embora ainda falte tirar a foto oficial com o presidente do clube, Josep Maria Bartomeu. O jogador do Liverpool não tinha viajado com o clube inglês para Dubai, onde o time ficará concentrado até o jogo do dia 14 contra o Manchester City. E, depois de aterrissar ontem em Barcelona, é muito provável que esteja neste domingo no camarote de Camp Nou.

O fato de Coutinho não ter viajado para os Emirados Árabes já havia provocado a intensificação dos rumores sobre sua transferência, algo que vinha sendo especulado com insistência nas últimas semanas. Não em vão, o meio-campista não participou (supostamente por estar contundido) dos últimos dois jogos do Liverpool. As últimas declarações do técnico do clube inglês, JürgenKlopp – “ele é um dos muitos que voltarão a estar disponíveis para a partida contra o Manchester City” – indicavam que ele voltaria a usar o uniforme vermelho nos próximos dias, mas não será assim. Foi só mais uma amostra da dificuldade das negociações, que se prolongaram por cinco meses.

Que o jogador queria vestir a camiseta azul-grená já estava claro fazia meses, e o próprio Barcelona havia dito isso, principalmente quando ficou sem Neymar, um dos integrantes de seu todo-poderoso tridente. Quem custou a decidir vendê-lo foi o Liverpool. Embora em Camp Nou tivessem 222 milhões de euros (862 milhões de reais) da rescisão de Neymar disponíveis para fazer negócios. Agora, entretanto, os dois clubes chegaram a acordo depois da proposta feita pelo clube catalão – uma oferta suculenta, pois giraria em torno de 160 milhões de euros (621 milhões de reais), incluídos 40 milhões de euros (155 milhões de reais) que dependem do cumprimento de metas fixadas em contrato. Assim, a contratação de Coutinho superaria o valor já estratosférico da transferência de Dembélé em agosto: o francês foi contratado por 105 milhões de euros (408 milhões de reais) à vista e outros 40 milhões de euros atrelados a metas, um recorde no Barcelona.

O clube já indicara no fim de dezembro que tentaria concluir a compra em breve. “A partir de 1º de janeiro começará a vertigem e avaliaremos as opções reais de negociação do jogador”, disse uma fonte do clube ao EL PAÍS. E assim foi. Apesar da chegada de Dembélé, que acaba de voltar a ser relacionado pelo técnico Valverde depois de uma dura lesão, o clube alertou já naquela ocasião que substituir Neymar custaria muito dinheiro e talvez fosse necessário reforçar mais de uma posição. “Procuramos um perfil de jogador polivalente no ataque e que possa ter protagonismo em mais de uma posição”, disse há algumas semanas uma fonte do Barça. E Coutinho se encaixa perfeitamente nesse perfil.

É bem provável que a vinda de Philippe Coutinho não seja a única alteração no elenco do Barcelona, que há sete anos não contratava reforços no mercado de inverno europeu. A saída de Mascherano, seduzido pelo futebol chinês, também pode causar a chegada do zagueiro colombiano Yerry Mina. Além disso, Rafinha, que apesar de recém-recuperado de uma lesão não parece contar com a boa vontade de Valverde, tem um pé e meio fora do Camp Nou. Deulofeu também não vem sendo escalado como nas primeiras partidas do Campeonato Espanhol e é sondado pela Inter de Milão e a Roma. Arda Turan, que não joga e não se manifesta, é um caso a parte.

O anúncio da chegada do meia-atacante brasileiro ocorre uma semana depois da Nike entornar o caldo. Ainda que o interesse do Barcelona pelo jogador fosse conhecido, não havia nada fechado no dia de Ano Novo. A empresa patrocinadora do clube azul-grená, entretanto, que promovia uma campanha de nome 'Onde Ocorre a Magia', publicou o seguinte texto: “Philippe Coutinho já está preparado para impressionar o Camp Nou. Consiga a camiseta do Barcelona 2017/2018 com o nome do mago. Corra, a personalização gratuita só está disponível até 6 de janeiro”. Poucos dias depois já não era possível comprar uma camiseta vermelha com o nome de Coutinho às costas nas lojas do Liverpool.

MAIS INFORMAÇÕES