Seleccione Edição
Login

O curioso vídeo do homem que acabou com a neutralidade na Internet nos EUA

Presidente da Comissão de Comunicações, Ajit Pai se vestiu de Papai Noel e brandiu a espada de Jedi para promover sua proposta de acabar com as proteções da era Obama

Imagem do vídeo de Ajit Pai
Imagem do vídeo de Ajit Pai

Quem o conhece garante que Ajit Pai adora fazer brincadeiras, e nos Estados Unidos se valoriza que haja algum momento de distensão entre os servidores públicos. Mas é impossível não considerar meio sem graça o vídeo no qual o presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) promove sua proposta de acabar com a neutralidade da Internet. A FCC aprovou quinta-feira essa iniciativa, que permite uma Internet de duas velocidades e acaba com as proteções criadas pelo Governo de Barack Obama, que a consideravam um serviço essencial, como a eletricidade.

“Recentemente tem havido muita conversa sobre meu plano para restaurar a liberdade na Internet”, começa o vídeo, divulgado quarta-feira. Durante quase dois minutos, o presidente da FCC explica as “sete coisas que você pode fazer na Internet depois do fim da neutralidade da rede”. Entre elas, continuar ingerindo comida calórica, tirar fotos de “animais bonitos”, ver séries de televisão e comprar produtos.

Em cada um desses itens, Pai aparece disfarçado e se passando por comediante. Tenta fazer graça com as mudanças profundas que podem ser desencadeadas pela Internet de duas velocidades, mas esse empenho pedagógico e gracioso pode, de certa forma, parecer frívolo, como se minimizasse as preocupações da população. Por exemplo, ele tira uma selfie com um prato de comida, aparece vestido de Papai Noel com óculos para ver um eclipse solar e brandindo uma espada de Jedi de Star Wars.

Brincadeiras e intuição política à parte, o vídeo é polêmico. O promotor da iniciativa é o site ultraconservador The Daily Caller. Em uma das cenas, ele aparece dançando como se estivesse em uma discoteca com Martina Markota, produtora do site. Markota, segundo a imprensa americana, promoveu o chamado “Pizzagate”, a teoria da conspiração segundo a qual a democrata Hillary Clinton comandava uma rede de pedofilia em uma pizzaria de Washington. Essa história, falsa, quase provoca um massacre quando um homem apareceu armado nessa pizzaria há um ano para investigar a suposta rede.

Pai, de 44 anos e origem indiana, foi nomeado presidente da FCC pelo republicano Donald Trump. Desde 2011, é membro da comissão. Advogado, defende uma interpretação estrita da legalidade e é a favor de eliminar o máximo possível de regulamentações. Essas duas correntes combinam com a filosofia conservadora. Pai atuou como jurista nos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Também trabalhou como advogado para a empresa de telecomunicações Verizon, um dos grandes beneficiados com o fim da neutralidade na Internet. As operadoras poderão agora oferecer uma conexão com diferentes velocidades.

O fim da neutralidade colocou Pai no epicentro dos noticiários, tornando-o odiado ou admirado. As operadoras de Internet são as maiores beneficiadas com a mudança das regras, enquanto os consumidores e as plataformas online serão presumivelmente os mais prejudicados, tendo de pagar mais por um serviço melhor.

Nas últimas semanas, Pai e sua família de dois filhos receberam ameaças de morte, segundo a FCC. “Eles vão saber a verdade. O Pai assassinou a democracia a sangue-frio”, dizia um cartaz diante de sua casa, no qual eram citados também seus dois filhos.

 

MAIS INFORMAÇÕES