Cinema

Morre Jake LaMotta, o boxeador que inspirou ‘Touro Indomável’

O famoso pugilista tinha 95 anos. Robert DeNiro interpretou o boxeador no filme de Martin Scorsese

LaMotta (dir.), durante luta em que ganhou o título mundial
LaMotta (dir.), durante luta em que ganhou o título mundial

Jake LaMotta, o famoso boxeador interpretado por Robert De Niro no filme de Martin Scorsese Touro Indomável, morreu nesta quarta-feira, aos 95 anos. LaMotta faleceu em decorrência de complicações por pneumonia em um hospital de Miami, segundo comunicado da família.

Mais informações

LaMotta será lembrado por sua personalidade irreverente e por sua fúria dentro e fora do ringue. Viveu uma vida agitada: com uma infância em Nova York na qual seu pai abusava de sua mãe, aprendeu a golpear em um reformatório; alcançou o estrelato como boxeador nos anos quarenta e, posteriormente, enfrentou problemas econômicos e pessoais depois de pendurar as luvas e se dedicar a diversos negócios e à atuação. Tinha um espírito incansável: “Golpear, golpear, golpear, nunca se render, receber todo o castigo que conseguisse suportar, bater, bater e bater”, descreveu em sua autobiografia, em 1970.

Scorsese fez de LaMotta um ícone cultural com seu filme baseado nas memórias do boxeador. Touro Indomável estreou em 1980 e recebeu oito indicações ao Oscar, incluindo melhor filme e direção. De Niro recebeu a estatueta de melhor ator, e o filme também levou o prêmio de melhor montagem. O personagem real e o ator, que engordou 22 quilos durante a preparação, boxearam durante mais de mil rounds antes da filmagem.

LaMotta nasceu em 10 de julho de 1921 no Lower East Side, Manhattan, e se criou no bairro do Bronx. Filho de imigrantes italianos, ele se chamava, na realidade, Giacobbe. Depois de passar por um reformatório, aos 19 anos se tornou boxeador profissional. Em sua carreira, entre 1941 e 1954, teve 83 vitórias, 19 derrotas (uma delas combinada, como ele mesmo reconheceu depois) e quatro empates. Em suas 106 lutas, só foi nocauteado duas vezes.

Jake LaMotta em outubro de 2009
Jake LaMotta em outubro de 2009Teddy Blackburn (REUTERS)

Ganhou os apelidos de Toro do Bronx e Toro Selvagem por causa de sua resistência e seu estilo agressivo. Alguns de seus combates foram antológicos, com golpes impossíveis no último instante, em um momento em que o boxe provocava grandes paixões.

Em 1949 conquistou o título de campeão mundial de pesos médios ao derrotar o francês Marcel Cerdan em um combate em Detroit, depois que ele teve de parar após o décimo round. A principal rivalidade de sua carreira foi com Sugar Ray Robinson: enfrentaram-se seis vezes no quadrilátero e LaMotta só venceu uma delas, na primeira derrota da carreira de Robinson.

Em 1951, LaMotta perdeu o trono de campeão mundial em um duríssimo combate com Robinson, batizado de Massacre de San Valentin. A luta acabou suspensa depois que LaMotta resistia suportando uma infinidade de golpes e se agarrava às cordas para não cair no chão.

De Niro, no papel de LaMotta em 'Touro Indomável'
De Niro, no papel de LaMotta em 'Touro Indomável'

O boxeador, que se casou várias vezes, deixa quatro filhas. Seus dois filhos faleceram em 1998. Depois de abandonar o ringue, teve uma discoteca em Miami, gravou anúncios, trabalhou em uma casa noturna nudista em Nova York e apareceu em vários filmes. Os problemas o perseguiram. Depois de afirmar ter ganho um milhão de dólares como boxeador, arruinou-se com rapidez. Em 1957, esteve seis meses preso por incentivar uma menor a se prostituir. Mas o filme de Scorsese o ajudou a blindar sua fama.