Oscar

‘Bingo’ representará o Brasil na disputa pelo Oscar

Inspirado na vida de Arlindo Barreto, o ex-intérprete do palhaço Bozo, longa disputava com outros 22 filmes brasileiros

Mais informações

O filme Bingo - O rei das manhãs foi escolhido para representar o Brasil na disputa pelo Oscar na categoria melhor produção estrangeira. O longa, inspirado na vida de Arlindo Barreto, o ex-intérprete do palhaço Bozo, disputava com outros 22 filmes brasileiros e agora passará por uma série de avaliações até janeiro do ano que vem, quando serão anunciados os finalistas da premiação. O Oscar 2018 acontecerá no dia 4 de março.

O anúncio ocorreu na manhã desta sexta-feira na Cinemateca Brasileira, um dia depois de outra indicação: na quinta-feira, Bingo fora escolhido para representar o Brasil na 32º edição dos Prêmios Goya, a principal premiação de cinema na Espanha. 

Do diretor Daniel Rezende, que também dirigiu Cidade de Deus, Bingo é interpretado por Vladimir Britcha. A estreia do longa, no dia 24 de agosto, foi morna, levando aos cinemas 63.000 espectadores em todo o país, ficando em 4º lugar no ranking dos dez filmes mais assistidos na semana de estreia.

Confira os outros filmes brasileiros que disputavam uma vaga para concorrer ao Oscar:

A família Dionit (Alan Minas)

A Glória e a graça (Flávio Ramos Tambellini)

Café - Um dedo de prosa (Maurício Squarisi)

Cidades fantasmas (Tyrell Spencer)

Como nossos pais (Laís Bodanzky)

Corpo elétrico (Marcelo Caetano)

Divinas divas (Leandra Leal)

Elis (Hugo Prata)

Era o hotel Cambridge (Eliana Caffé)

Fala comigo (Felipe Sholl)

Gabriel e a montanha (Felipe Barbosa)

História da história (Wilson Lazaretti)

Joaquim (Marcelo Gomes)

João, o maestro (Mauro Lima)

La vingança (Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro)

Malasartes e o duelo com a morte (Paulo Morelli)

O filme da minha vida (Selton Mello)

Polícia Federal - A lei é para todos (Marcelo Antunez)

Por trás do céu (Caio Sóh)

Quem é a primavera das neves (Ana Luiza Azevedo e Jorge Furtado)

Real - O plano por trás da história (Rodrigo Bittencourt)

Vazante (Daniela Thomas)