Em aposta ousada, Natura faz proposta de 1 bilhão de euros pela The Body Shop

Oferta aponta para passo internacional ambicioso da companhia brasileira Compra da cosmética britânica, que pertence a francesa L'Óreal, deve ser fechada este ano

Loja da The Body Shop.
Loja da The Body Shop. Divulgação

A Natura anunciou nesta sexta-feira que entrou em negociações finais com a francesa L'Oréal para comprar 100% das ações da empresa de cosméticos britânica The Body Shop e criar uma gigante global. A proposta apresentada foi de 1 bilhão de euros e é parte da estratégia da empresa brasileira de aprofundar a internacionalização dos seus negócios. Caso a aquisição seja concluída, a Natura passará a estar presente em 70 países. O fechamento da transação deverá ocorrer ainda neste ano, segundo nota enviada pelo grupo.

Mais informações

A cosmética The Body Shop está à venda desde fevereiro devido a um faturamento decepcionante e uma queda de rentabilidade. A marca, entretanto, continua sendo atrativa pelo posicionamento em um mercado em expansão e a notoriedade internacional. A conclusão da proposta está sujeita ainda à consulta ao seu Conselho de Colaboradores e à aprovação de autoridades concorrenciais. Nas últimas semanas, além da Natura, havia rumores de numerosos aspirantes interessados na aquisição da The Body Shop, entre eles fundos de inversão e vários grupos asiáticos.

A integração da The Body Shop com a Natura pode levar o grupo a números grandiosos: o faturamento  passaria a ser de 11,5 bilhões de reais, o que representa um aumento de 45% das receitas líquidas que foi de 7,9 bilhões no ano passado, segundo o balanço divulgado pela companhia. Após a compra, a Natura injetaria musculatura em sua rede varejista, e chegaria a um total de 3.200 lojas, 17.000 colaboradores, além de um portfólio de mais de 2.000 produtos. A marca britânica seguirá atuando de forma independente nos países onde atua. Hoje há poucas lojas físicas da Natura, pois seu forte sempre foi a venda porta a porta.

“Natura e The Body Shop sempre percorreram caminhos paralelos que hoje se encontram. A complementariedade da presença internacional, o uso da biodiversidade, a ética na gestão, o relacionamento justo com as comunidades e o uso intenso da inovação são dimensões dessa jornada que se inicia”, disse nesta sexta-feira Guilherme Leal, Co-Presidente do Conselho de Administração da Natura.

A The Body Shop foi fundada em 1976 por Anita Roddick com uma postura pioneira e ativista em causas sociais e ambientais, como o fim do teste de produtos em animais. Em 2006, a empresa foi vendida ao grupo francês L’Oréal, maior empresa de cosmética do mundo. A The Body Shop atua em 66 países, tem mais de 3.000 pontos de venda, sendo que 109 deles estão no Brasil.

Já a Natura, companhia fundada em São Paulo em 1969 por Luiz Seabra, é a maior empresa brasileira de cosméticos do país e também sempre procurou associar a sua marca à sustentabilidade. Em meio à maior recessão econômica brasileira das últimas décadas, o grupo tem tentado diversificar seus canais de venda e sua expansão no mercado internacional, que atualmente representa apenas um terço da sua faturamento, e, em particular, na América Latina.

(com agência EFE)

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: