Seleccione Edição
Login

A morte de um coelho gigante em um voo abre outra crise na United Airlines

Duas semanas depois do escândalo do passageiro expulso de um avião à força, a companhia investiga as circunstâncias do ocorrido

Conejo gigante
Simon, o coelho gigante que morreu em um voo de United Airlines.

A morte de um coelho gigante em um voo entre Londres e Chicago ameaça outra vez a imagem da companhia United Airlines, duas semanas depois do escândalo pela retirada à força de um passageiro de 69 anos de um voo com overbooking. O passageiro, arrastado pelo corredor da aeronave até ser expulso, perdeu dois dentes e precisará de uma intervenção cirúrgica no nariz, que sofreu uma dupla fratura.

Se a crise aberta pela divulgação das imagens do desalojamento obrigou a empresa a pedir desculpas e mudar com urgência o protocolo de atuação em caso de overbooking, a morte do coelho, chamado Simon, coloca a United Airlines sob escrutínio em relação à forma de transportar animais. Segundo o The New York Times, o coelho morreu por causas que não foram explicadas no voo que o transportava do aeroporto de Heathrow para o de Chicago, onde seu comprador o esperava.

Simon era um exemplar de coelho continental gigante, de quase um metro de comprimento e 10 meses de idade. A espécie é muito valorizada, apesar de seu tamanho, como animal de companhia por seu caráter e inteligência, e um comportamento que é considerado mais próprio de um cachorro do que de um coelho.

O coelho passou por um controle veterinário antes de embarcar. Não apresentou problemas, mas morreu no compartimento de cargas do avião. Sua criadora, Annette Edwars, sediada em Worcestershire, no oeste da Inglaterra, declarou ao jornal The Sun que quer saber o que houve com o animal, que era transportado para sua venda. No momento a United Airlines só disse por meio de um porta-voz que estão tristes com a notícia e investigando as circunstâncias da morte do coelho.

Simon não era um coelho qualquer. Estava a caminho de superar o recorde de tamanho de sua espécie uma vez que chegasse à maturidade. O dono da marca atualmente é seu pai, Darius, de 132 centímetros e também propriedade de Edwards. A mulher, ex-modelo da Playboy, e que há anos se submeteu a cirurgia plástica para se parecer com Jessica Rabbit, explicou que tem experiência no envio de coelhos a diferentes lugares do mundo e que nunca tinha lhe acontecido algo assim. O comprador “é muito famoso”, segundo Edwards, e está “muito decepcionado”.

Segundo dados do Departamento de Transportes dos Estados Unidos divulgados pelo The New York Times, 35 animais morreram nos Estados Unidos em 2015 em viagens de 17 companhias aéreas. Deles, 14 faleceram em voos da United Airlines.

MAIS INFORMAÇÕES