Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Os 10 piores aeroportos do mundo

Dez aeródromos em que você rezará para não ter uma longa espera em trânsito

Os aeroportos são as catedrais da modernidade. Todas as cidades anseiam por ter um maior e mais alto do que o do vizinho e os arquitetos de prestígio sonham em passar à posteridade construindo-os. Mas nem sempre se lembram de fazê-los confortáveis para os que precisam sofrer em seu interior. 

The Guide to Sleeping in Airports é um curioso site cujos usuários mandam relatórios sobre a qualidade de aeroportos de todo o mundo. Começou sendo uma página de mochileiros e viajantes com pouco dinheiro que trocavam informações sobre como dormir de graça nos terminais para economizar uma noite de hotel. E terminou por se transformar no mais completo e hilariante armazenamento de informação sobre os lugares nos quais os viajantes no final das contas passam mais tempo do que gostariam.

Para fazer essa lista com os piores aeroportos do mundo em 2016 os rapazes do The Guide to Sleeping in Airports levaram em consideração temas como o conforto das instalações, a existência de áreas de descanso e assentos suficientes, a restauração, a gentileza e qualidade do serviço da equipe de imigração e de segurança, a atenção ao cliente e a limpeza dos banheiros. E o resultado é esse: 10 aeroportos pelos quais você nunca gostaria de passar.

1. Aeroporto Internacional Rei Abdulaziz, Jeddah (Arábia Saudita)

Aeroporto Internacional de Jeddah.
Aeroporto Internacional de Jeddah.

Tirando o fato de que conta com WiFi grátis, o resto dos aspectos negativos desse aeroporto o fazem merecer o indesejável primeiro lugar. Quase não possui áreas de descanso e restaurantes, a higiene do complexo deixa muito a desejar no geral e seus oficiais de imigração são geralmente descritos como arrogantes e mal-educados. Um lugar ruim para se precisar fazer uma longa escala.

2. Aeroporto Internacional de Juba (Sudão do Sul)

Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.
Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.

Um Estado praticamente novo, nascido após uma sangrenta e longuíssima guerra civil, tem outras preocupações além das comodidades de seu aeroporto. Mas o certo é que o terminal de Juba se assemelha mais a uma sauna com escassos serviços – onde os banheiros costumam estar quebrados a maior parte do tempo – do que a um terminal internacional. Desafortunadamente, e tendo em vista o panorama atual, ainda falta muito ao Sudão do Sul para conseguir uma infraestrutura melhor.

3. Aeroporto Internacional de Port Harcourt (Nigéria)

Sala de despacho de bagagens no aeroporto de Port Harcourt, Nigéria.
Sala de despacho de bagagens no aeroporto de Port Harcourt, Nigéria.

Costuma ser sempre um dos aeroportos pior avaliados em todas as listas. Não à toa, no ano passado ocupava a primeira posição do ranking do Sleeping in Airports. Os passageiros se amontoam diante dos monitores em filas intermináveis enquanto tentam espantar os inumeráveis mosquitos que pululam pela sala. Banheiros com escassa limpeza, despacho de bagagens sem esteira e as acusações de práticas próximas à corrupção em seus oficiais transformam esse lugar em um dos mais indesejáveis destinos de viagem.

4. Aeroporto Internacional de Tashkent (Uzbequistão)

Terminal de passageiros do aeroporto de Tashkent.
Terminal de passageiros do aeroporto de Tashkent.

O aeroporto da capital uzbeque se esforça para estar a cada ano mais alto nessa lista de duvidoso prestígio. De fato, é considerado o pior aeroporto da Ásia. As queixas dos usuários são principalmente sobre a quantidade de controles de segurança que acabam com a paciência do mais santo e tornam impossível o caminho rumo às portas de embarque.

5. Aeroporto Nacional de Santorini - Thira (Grécia)

Passageiros esperando em frente às portas de embarque no aeroporto de Santorini.
Passageiros esperando em frente às portas de embarque no aeroporto de Santorini.

Tudo bem que grande parte da culpa da pontuação ruim do aeroporto de Santorini é da quantidade de turistas que chegam como hordas à ilha. Dito isso, não ajuda que as instalações sejam ridiculamente pequenas e que as pessoas precisem esperar em filas no sol para despachar a bagagem. Do lado de dentro a situação também não melhora muito, pois as salas de espera não possuem ar condicionado. Em agosto, é melhor ter paciência e ir ciente de que será preciso esperar, de qualquer jeito.

6. Aeroporto Internacional de Chania (Grécia)

Terminal de embarque do aeroporto de Chania.
Terminal de embarque do aeroporto de Chania.

Outro aeroporto grego com escassos serviços e sem ar condicionado. Na alta temporada é comum ver as pessoas sentadas no chão pois não possui cadeiras e lugares de descanso suficientes para atender a demanda. E como se não bastasse, o nível do preço das refeições é exorbitante, ainda mais levando-se em conta a média dos aeroportos europeus. Conselho prático se você precisar passar por lá no verão: leve comida de casa e sob hipótese alguma esqueça o leque.

7. Aeroporto Internacional de Heraklión Nikos Kazantzakis (Grécia)

E como não existem dois sem três, a sétima posição é ocupada por outro aeroporto grego. Além disso, bem próximo ao de Chania: são separados por 140 quilômetros. Preços estratosféricos, assentos incômodos nas salas de espera, equipe de serviço pouco amável e falta de higiene nos serviços transformam esse aeroporto em um pesadelo. Uma pena que seja a porta de entrada de um destino tão bonito como Creta.

8. Aeroporto Internacional de Maiquetía Simón Bolívar (Venezuela)

Passageiros na área de despacho de bagagens do aeroporto Simón Bolívar.
Passageiros na área de despacho de bagagens do aeroporto Simón Bolívar.

Não são bons tempos para os viajantes que pretendem chegar à Venezuela. Os cancelamentos de rotas anunciados por várias empresas se somam ao serviço ruim de seu principal aeroporto. Os usuários habituais recomendam prever pelo menos cinco horas em uma escala por conta do mau funcionamento dos serviços logísticos responsáveis por bagagens e conexões. A segurança é outro dos aspectos assinalados negativamente; é recomendado estar muito atento à bagagem a todo o momento e embalar as malas para evitar aberturas indesejadas.

9. Aeroporto de Londres-Luton (Inglaterra)

Uma das salas de espera no aeroporto de Luton
Uma das salas de espera no aeroporto de Luton

Luton é o exemplo claro do modelo low-cost da aviação moderna. Sem dúvida é um dos locais mais competitivos para se chegar à capital inglesa porque recebe voos das empresas de baixo custo com preços mais competitivos. Mas o que você economiza de um lado, acaba pagando com sobras de outro: excesso de bagagem, dropp-offs na pista, até mesmo as bolsas de plástico necessárias para os líquidos de menos de 100 ml têm um preço. O aeroporto de Pinypon precisa urgentemente de uma reforma que o adeque ao número de passageiros que recebe a cada ano.

10. Aeroporto Internacional de Katmandu (Nepal)

Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.
Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.

Se alguém quer saber como é o aeroporto de Katmandu pode vê-lo bem representado no filme Evereste. Ambientado em 1996, provavelmente a equipe de produção do filme não precisou tirar nada do lugar para reproduzir fielmente como o aeroporto era há duas décadas. A área de voos internacionais não é de todo ruim. Mas a de voos nacionais, mais do que um terminal parece uma bagunçada estação de ônibus de cidade pequena.

MAIS INFORMAÇÕES