_
_
_
_

Chu Ming Silveira, a inventora do orelhão, vira Doodle

Nascida da China, ela é responsável por um item encontrado em quase toda esquina do Brasil

Chug Ming Silveira, usando um orelhão.
Chug Ming Silveira, usando um orelhão.Reprodução (orelhao.arq.br)

Chu Ming Silveira foi a design sino-brasileira responsável pelo icônico orelhão, um dos objetos mais reconhecíveis do Brasil. A inspiração para a cobertura dos telefones públicos veio da casca de ovo, que a arquiteta definiu como “a melhor forma acústica”.

Mais informações
Dia Internacional da Mulher: Google homenageia 13 mulheres importantes na história
Descoberta de planetas estimula a imaginação do Google
Prepare os casacos: começa o outono no Hemisfério Sul

Inicialmente, foram desenvolvidos dois projetos. Chu I seria usado em ambientes internos como lojas e prédios públicos, apelidado de orelhinha. Ele não existe mais. O Chu II, feito de fibra de vidro para proteger os usuários do sol e da chuva e aguentar mudanças de temperatura é o orelhão das ruas. Hoje existem cerca de 52.000 orelhões em todo o Brasil. Além disso, o trabalho de Chu também foi exportado para países como Moçambique, Angola, Colômbia e Paraguai.

Formada em arquitetura pela Universidade Mackenzie, Chu Ming Silveira foi para Ilhabela depois de desenvolver o projeto que lhe deu visibilidade. Lá ela construiu uma vila familiar, com o estilo que ficou conhecido como “pós-caiçara”. Para a construção das casas, a arquiteta usava materiais típicos da região, inspirada na tradição milenar do Feng Shui, criando um equilíbrio com a natureza ao redor.

Chu Ming Silveira é a homenageada com um Doodle nesta terça-feira, dia em que faria 76 anos.

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo

¿Quieres añadir otro usuario a tu suscripción?

Si continúas leyendo en este dispositivo, no se podrá leer en el otro.

¿Por qué estás viendo esto?

Flecha

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo y solo puedes acceder a EL PAÍS desde un dispositivo a la vez.

Si quieres compartir tu cuenta, cambia tu suscripción a la modalidad Premium, así podrás añadir otro usuario. Cada uno accederá con su propia cuenta de email, lo que os permitirá personalizar vuestra experiencia en EL PAÍS.

En el caso de no saber quién está usando tu cuenta, te recomendamos cambiar tu contraseña aquí.

Si decides continuar compartiendo tu cuenta, este mensaje se mostrará en tu dispositivo y en el de la otra persona que está usando tu cuenta de forma indefinida, afectando a tu experiencia de lectura. Puedes consultar aquí los términos y condiciones de la suscripción digital.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_