Restaurante francês vive ‘boom’ de clientes após receber estrela Michelin por engano

Guia gastronômico se equivocou ao premiar um estabelecimento da cidade francesa de Bourges

O restaurante Lhe Bouche à Oreille, em Bourges.
O restaurante Lhe Bouche à Oreille, em Bourges.Milos Krivokapic / AP
O restaurante premiado por engano é um estabelecimento simples, que atrai trabalhadores locais com um prato do dia a 12,5 euros 

O prestigiado guia gastronômico Michelin fez as reservas dispararem no Le Bouche À Oreille, uma modesta brasserie da pequena cidade de Bourges, na região central da França. A organização concedeu ao estabelecimento, por engano, uma de suas cobiçadas estrelas, que na verdade era destinada a um restaurante com o mesmo nome, localizado em uma rua de nome idêntico, mas em outra cidade. A falha foi corrigida na quarta-feira passada.

Mais informações

“Começamos a ficar lotados. Tenho clientes novos que querem mesas para três, quatro... e ao mesmo tempo, todos os fregueses habituais. O problema é que não tenho muito espaço e só quatro mãos”, explicou a proprietária, Verónique, ao jornal Le Parisien. O Le Bouche À Oreille é um restaurante simples que atrai trabalhadores locais com um prato do dia a 12,5 euros (cerca de 40 reais).

Mas depois que o Michelin lançou sua edição de 2017, a clientela começou a aumentar com os gourmets atraídos pela nova estrela. O restaurante que realmente deveria figurar no guia, o Le Bouche À Oreille da cidade de Boutervilliers — um estabelecimento com um menu degustação de 48 euros (cerca de 155 reais) e decoração refinada —, optou por levar o erro na esportiva.

“É um pequeno percalço sem prejuízo e que já foi corrigido. Nada grave! Chamei a gerente de Bourges e rimos da situação”, disse o chef Aymeric Dreux, acrescentando que um cliente chegou a perguntar se tinham mudado de endereço.

O guia Michelin admite que se tratou de um erro técnico que só afetou a informação publicada na internet, mas não a edição impressa nem o aplicativo. “Pedimos desculpas aos dois estabelecimentos e lamentamos ter confundido nossos clientes”, afirmou a diretora-geral dos mapas e guias do Michelin, Claire Dorland-Clauzel.

No EL PAÍS, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por 1 euro no primeiro mês e 10 euros a partir do mês seguinte, sem compromisso de permanência.

Inscreva-se

Mais informações