Polícia francesa entra na Assembleia Nacional em busca de documentos sobre esposa de candidato conservador

Procuradoria investiga se François Fillon contratou sua esposa Penelope como assessora-fantasma

Fillon e sua esposa neste domingo, em Paris.
Fillon e sua esposa neste domingo, em Paris.PASCAL ROSSIGNOL (REUTERS)

A polícia entrou nesta terça-feira no Parlamento da França em busca de provas sobre os supostos pagamentos do candidato presidencial da direita, François Fillon, à sua esposa, segundo fontes parlamentares citadas pela Reuters. A Procuradoria está investigando se Penelope, esposa de Fillon, recebeu 500.000 euros (cerca de 1,6 milhão de reais) por um contrato falso assessora parlamentar do marido.

Mais informações
Esposa de candidato francês ganhou 500.000 euros como assessora-fantasma
Dissidente socialista derrota Valls e será o candidato da esquerda ao Governo francês
Benoît Hamon, o emergente socialista francês que quer impostos dos robôs
Fillon ganha as primárias e será o candidato da direita à presidência da França

A busca não foi realizada no gabinete de Fillon, mas nos escritórios administrativos do Parlamento, de acordo com a testemunha da Reuters.

Na segunda-feira, ambos tiveram que comparecer perante a Procuradoria de Assuntos Financeiros. O casal alegou ter fornecido aos investigadores “elementos úteis para a manifestação da verdade”. O escândalo foi revelado pela revista satírica Le Canard Enchaîné na semana passada.

A questão tem impactado fortemente a campanha presidencial de Fillon, que estava emergindo como o favorito para as eleições no segundo trimestre. O candidato afirmou que é vítima de um ataque para dificultar sua corrida até o Palácio do Eliseu e prometeu que somente sairá da disputa caso seja indiciado.

Na plataforma change.org, mais de 267.000 pessoas já apoiaram um abaixo-assinado para que Penelope Fillon devolva os 500.000 euros de dinheiro público que teria supostamente recebido. Os cidadãos que organizam a ação criticam que ela havia dito em entrevistas que nunca esteve envolvida na vida política do marido.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS