Cinema brasileiro

‘Aquarius’, de Kleber Mendonça, entra no páreo do Oscar francês

Filme do pernambucano, que não foi escolhido para representar o Brasil no Oscar, foi indicado ao Cesar

Sonia Braga em cena de 'Aquarius'.
Sonia Braga em cena de 'Aquarius'.Divulgação

Aquarius, o segundo longa-metragem do cineasta pernambucano Kleber Mendonça (O som ao redor), foi selecionado nesta quarta-feira, 25 de janeiro, para o Cesar, a maior premiação do cinema francês. O filme, ignorado pelo Oscar americano, o prêmio cinematográfico que mais marketing rende no mundo, ao qual terminou não entrando para representar o Brasil, percorre uma trilha bem-sucedida no exterior.

Mais informações

Depois de ser lançado em Cannes, onde disputou a Palma de Ouro, ele estreou em mais de 45 festivais e ganhou cerca de 20 prêmios e já foi distribuído comercialmente para 12 países. Entre eles está a França, onde fez aproximadamente 170.000 espectadores em salas – um patamar considerado alto sobretudo para uma produção estrangeira. No Brasil, a bilheteria do filme também foi comemorada: 356.000 espectadores.

No Cesar, Aquarius foi indicado à categoria de filmes internacionais. O longa, estrelado por Sonia Braga, concorre com filmes como o inglês Eu, Daniel Blake, o estadunidense Manchester à Beira-Mar, o polonês Bacalaureat, o belga A garota sem nome e o canadense É apenas o fim do mundo. Nas demais categorias, as obras francesas que mais acumulam indicações são Franz, de François Ozon, e Elle, de Paul Verhoeven. Este último, já lançado no Brasil, também estreou em Cannes e foi premiado com o Globo de Ouro de melhor atriz para Isabelle Huppert.

Em alta, Huppert foi indicada também ao Oscar como melhor atriz – categoria na qual havia uma chance (não concretizada) de indicação para Sonia Braga, cuja atuação em Aquarius foi bastante elogiada pela crítica internacional. É a 16ª vez que a atriz francesa é indicada ao Cesar, que venceu somente em 1996, por Mulheres diabólicas, de Claude Chabrol.

Presente em várias listas de melhores filmes do ano e alvo de críticas positivas na maioria dos casos, Aquarius conta a história de Clara, uma mulher que, aos 65 anos, vive sozinha em um edifício à beira-mar no Recife. O edifício corre o risco de ser derrubado para a construção de um novo empreendimento, e Clara resiste pacificamente – até onde lhe é possível.

Mais informações