Se você quer perder gordura e ganhar músculos, faça esta dieta e não cometa estes erros

Com uma seleção de refeições em que você não passará fome

“Trata-se de aprender a comer e incorporar esses hábitos ao nosso dia a dia e não apenas em momentos pontuais em que queremos seguir uma determinada dieta”, diz o especialista.
“Trata-se de aprender a comer e incorporar esses hábitos ao nosso dia a dia e não apenas em momentos pontuais em que queremos seguir uma determinada dieta”, diz o especialista.Getty
Mais informações

Muitas vezes as dietas são associadas a passar fome. Mas nem sempre deve ser assim. Por exemplo, este plano nutricional mostra que é possível ter uma alimentação saudável sem ter de ouvir o estômago roncar. “A coisa mais importante é adaptar as quantidades de cada alimento em função do peso, da altura, da massa muscular e da atividade física que cada um tem. Mas, atenção, isso não significa que você tenha de passar fome em momento algum”, explica o nutricionista Álvaro Sánchez.

O objetivo desta dieta, elaborada por Sánchez na clínica Medicadiet, é fortalecer os músculos e perder a gordura excedente. Trata-se de manter um corpo musculoso sem a incômoda sensação de ter o estômago constantemente vazio. O truque para que a dieta seja suportável está na metodologia do intercâmbio em que se baseia. Esta modalidade dá liberdade na hora de escolher os alimentos, desde que pertençam ao mesmo grupo nutricional.

O valor energético deste regime é de 3.000 calorias por dia, das quais 58% são carboidratos, 26% gorduras e 16% proteínas. Convém lembrar que para uma dieta ser eficaz ela deve ser personalizada de acordo com as características físicas de cada indivíduo. “Uma regra básica é ingerir 0,8 grama de proteína por quilo de peso diariamente, mas é um valor indicativo. Por exemplo, uma pessoa de 70 kg que pratica esporte regularmente (três ou quatro dias por semana) deve ingerir 1,5 grama de proteína por quilo de peso”, diz Sánchez. “O ideal antes de começar qualquer regime é ir a um nutricionista para avaliar as necessidades específicas da pessoa que quer fazer dieta”, ressalta.

Álvaro Sanchez dá as diretrizes para adaptar o plano nutricional que preparou em função das características físicas e dos exercícios que cada um pratica. “Antes de fazer exercício é preciso ingerir carboidratos e proteínas, porque fornecem a energia exigida pela atividade a ser desenvolvida. E deve-se evitar ingerir gorduras, porque dificultam a digestão e podem causar desconforto durante o treinamento”, indica.

Com isso em mente, jogar com a ordem das refeições propostas é simples. Se você for fazer atividade física à noite, ingira uma quantidade maior de carboidratos e proteínas no jantar ao invés de fazê-lo no almoço. Se, ao contrário, o exercício for feito no início do dia, você deve tomar o café da manhã um pouco antes, mesmo que seja uma banana ou um café com mel, para evitar a hipoglicemia (diminuição da quantidade de glicose no sangue que pode causar tontura, fadiga e dores de cabeça, entre outros sintomas).

Getty

O plano nutricional é de uma semana, mas a ideia é que se torne uma rotina diária. “Trata-se de aprender a comer e de incorporar esses hábitos ao nosso dia a dia e não apenas em momentos pontuais em que queremos seguir uma determinada dieta”, diz Sánchez.

Também é importante saber que durante os 30 minutos posteriores ao treino acontece a recuperação do gasto muscular, cujo nome técnico é janela metabólica. Isso significa que todos os nutrientes ingeridos durante esse período de tempo passam diretamente para a massa muscular. “Por isso, após o exercício é necessário ingerir uma boa quantidade de carboidratos [cereais ou de frutas], para ajudar o músculo a se recuperar do desgaste do exercício”. Além disso, beber uma quantidade adequada de água também é essencial. “Depois de fazer exercício é necessário recuperar todo o líquido perdido pelo corpo. É aconselhável beber entre dois a três litros por dia, dependendo da intensidade do treinamento”, diz o nutricionista.

Os principais erros cometidos na academia

Para que os resultados sejam satisfatórios, é possível combinar a dieta com um plano de exercícios para reforçar os seus efeitos. Mas podemos cometer alguns erros por falta de informação ou mal aconselhamento. A treinadora fitness Beatriz Solís explica que treinar menos de duas vezes na semana é um tiro no pé. “Em nossos centros recomendamos 30 minutos, três vezes por semana. São necessárias de 10 a 12 semanas para criar o hábito e, a partir daí, mantê-lo: essa é a chave do sucesso”, conta.

Além disso, deve-se evitar pagar a academia adiantado por um ano ou esperar que em poucas semanas de treino um milagre acontecerá e seu corpo ficará malhado. Ángel Merchán, diretor da empresa de treinamento pessoal Homewellness, afirma que o corpo precisa de tempo para se adaptar aos estímulos do treinamento e produzir melhoras. Por fim, não se engane: apenas abdominais não farão com que você fique com uma barriga de tanquinho.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: