Ao menos 5 mortos e 8 feridos após tiroteio em um aeroporto da Flórida

O atirador já está sob custódia policial. Polícia diz que só houve disparos no terminal 2

Centenas de passageiros foram evacuados às pistas do aeroporto.
Centenas de passageiros foram evacuados às pistas do aeroporto.

As armas de fogo voltaram a pôr de luto os Estados Unidos. Nesta sexta-feira perto das 13h hora local, um homem matou a tiros cinco pessoas e feriu outras oito em uma sala de retirada de bagagens do aeroporto de Fort-Lauderdale, Flórida, na Miami metropolitana.

MAIS INFORMAÇÕES

O agressor foi identificado como Esteban Santiago, de 26 anos e com um filho, nascido em Nova Jersey e com passado militar. De família porto-riquenha, serviu seis anos na Guarda Nacional de Porto Rico e participou por cerca de um ano na missão dos Estados Unidos no Iraque. Ao ser detido carregava uma credencial militar. Depoimentos de familiares indicam que tinha problemas mentais.

Santiago chegou ao aeroporto de Fort Lauderdale procedente do Alaska, onde vivia, depois de fazer escala em Minneapolis. Dentro da bagagem levava uma arma de fogo. Ao entrar ao terminal dois do aeroporto, na zona de bagagens, entrou a um banheiro, supostamente para carregar a arma, e ao sair disparou indiscriminadamente contra passageiros que esperavam suas malas.

Em um vídeo feito instantes após o acontecimento é possível ver as pessoas em estado de choque. Alguns de pé, outros no chão e ao menos uma pessoa caída com uma poça de sangue junto à cabeça.

Santiago foi detido quase imediatamente e posto ao dispor de agentes do FBI. Até o momento não há nenhuma versão oficial dos motivos do ataque, também não há indícios de terrorismo. O agressor atuou só e nenhum depoimento de testemunhas mencionou que exclamasse mensagem jihadista.

O presidente eleito Donald Trump escreveu no Twitter: "Monitorando o terrível acontecimento da Flórida. Acabo de falar com o Governador Scott. Nossos pensamentos e preces estão com eles". Na mesma rede social o ex-secretário de imprensa da Casa Branca com George W. Bush Ari Fleischer, que estava no local, alertara minutos antes: "Estou no aeroporto de Fort Lauderdale. Acabam de disparar. Está todo mundo correndo".

Segundo informou um comunicado da Administração Federal de Aviação (FAA, siglas em inglês), os aviões programados para aterrissar no aeroporto de Fort Lauderdale-Hollywood que estivessem a mais de 50 milhas seriam desviados a outros aeroportos. Aqueles voos dirigidos ao aeroporto que ainda não tivessem saído seriam cancelados.

O estado de Flórida, com 20 milhões de habitantes, é um dos estados mais permissivos para a compra de armas.

Desde os atentados de 11 de setembro, as medidas de segurança nos aeroportos norte-americanos aumentaram para exercer um maior controle sobre os passageiros e evitar atentados similares. Nos últimos anos, não ocorreram incidentes graves nos aeroportos do país. O último ocorreu em 2013 no Aeroporto Internacional de Los Angeles, quando um homem matou a tiros um policial do aeroporto e feriu outros antes de ser detido.

Arquivado Em: