Atentado em Berlim

Caminhoneiro mata 12 pessoas em Berlim e reaviva medo de terrorismo na Europa

Polícia detém o condutor do veículo, que deixou 48 feridos em um mercado de Natal

O caminhão próximo ao mercado de Natal.
O caminhão próximo ao mercado de Natal.FABRIZIO BENSCH (REUTERS)

As sirenes de ambulâncias foram ouvidas na segunda-feira à noite, no coração de Berlim Ocidental, confirmando que o terror voltou para a Europa. Um caminhão irrompeu em um mercado de Natal deixando pelo menos 12 mortos, de acordo com a polícia alemã, e cerca de 48 feridos, alguns graves, no que parece ser um ataque terrorista. O que aconteceu é modelado sobre o golpe brutal sofrido pela cidade francesa de Nice em julho. Fazia tempo que os serviços de inteligência temiam que os mercados de Natal estivessem na mira dos jihadista. Embora as autoridades alemãs insistam em não tirar conclusões precipitadas, o ministro do Interior, Thomas de Maizière, sublinhou à meia-noite que "muitos sinais" apontam para um atentado. A polícia prendeu um suspeito de ser o motorista. Seu co-piloto morreu no ataque.

A procuradoria geral da Alemanha assumiu a investigação do atropelamento mortal em Berlim. A polícia faz questão de dizer que estão abertas as duas vias: que seja um acidente ou um choque intencional. Nem sequer depois da detenção do suspeito, que depois se confirmou como o motorista do caminhão, as autoridades quiseram confirmar que hipótese é mais provável. “As motivações não estão claras”, insistem os investigadores de polícia no Twitter, tratando de frear rumores precipitados. A investigação segue aberta. POr sua vez, a Casa Branca condenou "o que parece ser um ataque terrorista".

O incidente ocorreu na última hora da tarde, quando um caminhão — que ao que parece tinha registro polonês — passou por cima da cerca e investiu contra a multidão de pessoas que se encontravam no mercado, perto da popular avenida Kurfuerstendamm. Além dos ao menos nove mortos há cerca de 50 feridos, segundo confirmou a polícia, que, quando chegou ao local, achou a cabine do veículo vazia.

O ocorrido lembra o atentado de julho em Nice, quando um francês de origem tunisiana investiu contra centenas de pessoas que esperavam para ver os famosos fogos de artifício do dia da Bastilha e matou 86 pessoas. Em Berlim, o ataque ocorreu no mercado natalino mais popular da zona oeste da cidade, no que se vendem presentes e há bares para comer e beber. O Estado Islâmico reivindicou o atentado mais tarde.

"Escutei um ruído enorme e me dirigi ao mercado de Natal e vi um grande caos... muitos feridos", disse Jan Hollitzer, subdiretor do Berliner Morgenpost à CNN. Emma Rushton, uma turista de visita na cidade, também contou à rede de televisão norte-americana que o caminhão ia a uma velocidade de uns 65 quilômetros por hora.

Não é o primeiro ataque que ocorre na Europa contra um mercado de Natal. Além disso, nesta semana foi noticiado que as autoridades alemãs abordaram um menor de 12 anos, fortemente radicalizado, que tentou praticar atentados duas vezes na cidade de Ludwigshafen; a primeira delas no mercado madrilenho dessa cidade, on qual colocou um artefato que não chegou a explodir, no dia 26 de novembro. Em 5 de dezembro, ele voltaria a tentar ao deixar uma mochila cheia de pregos e material explosivo nas redondezas de um shopping próximo à Prefeitura. A policial deteve à criança-terrorista graças ao aviso de um homem que presenciou o ocorrido.