Atentado duplo deixa ao menos 38 mortos em Istambul

Há outros 155 feridos, em sua maioria policiais que vigiavam um estádio de futebol onde o ataque ocorreu

Ao menos 38 pessoas morreram e outras 155 ficaram feridas em um duplo atentado durante a noite de sábado em Istambul (Turquia), segundo o ministro do Interior. Um carro bomba explodiu nas imediações do estádio de futebol do clube Besiktas em pleno centro da cidade, e um homem-bomba se matou em frente a um grupo de policiais no parque Maçka. Segundo as primeiras informações apuradas, o alvo dos ataques pode ter sido os agentes encarregados da segurança do estádio, já que as autoridades confirmaram que 27 das vítimas fatais eram policiais e ao menos duas eram civis.

Um dos locais onde ocorreram as explosões.
Um dos locais onde ocorreram as explosões.Murad Sezer (Reuters)

"Um ato terrorista dirigido contra as nossas forças de segurança e cidadãos em Besiktas ocorreu nesta noite", disse o presidente Recep Tayyip Erdogan em um comunicado. Não foi confirmado quem está por trás das explosões, mas o ministro do Interior da Turquia, Soliman Soylu, anunciou que 10 pessoas foram detidas.

Mais informações
Atentado contra ônibus de policiais mata 11 em Istambul
Uma série de atentados na Turquia deixa pelo menos nove mortos
A tentativa de golpe de Estado na Turquia

O ataque aconteceu às 22h30 (17h30 de Brasília), cerca de uma hora e meia após o término da partida entre Besiktas e Bursaspor. No momento da explosão, não havia jornalistas ou jogadores dentro do estádio e a imensa maioria dos torcedores já havia saído, segundo explicou o ministro do Interior, Süleyman Soylu. No entanto, a região é uma área de muito movimento e que se encontra perto da praça de Taksim, centro noturno aos finais de semana.

O ministro do Transporte turco, Ahmet Arslan, declarou em sua conta do Twitter que se trata de um "atentado terrorista". Segundo a rede de televisão NTV, aconteceram duas detonações, em ambos os casos feitas por microônibus carregados com explosivos. O ministro Soylu também afirmou que o ataque foi efetuado com "veículos bomba". Um deles explodiu perto da porta pela qual saíram os torcedores do Bursaspor, mas eles já haviam deixado o estádio. O outro explodiu em uma rua próxima. Ele também acrescentou que se averigua se os casos se trataram de atentados suicidas.

A equipe de futebol Bursaspor confirmou através de sua conta de Twitter que nenhum de seus seguidores se feriu. "Contatamos nossas torcidas. Aparentemente não há feridos entre elas. Desejamos a todos os afetados uma pronta recuperação".

Os feridos foram levados aos hospitais próximos e nos arredores do ocorrido há o som de muitas ambulâncias. A polícia isolou o local e a imprensa foi proibida de chegar perto dos arredores do estádio. O Conselho de Rádio e Televisão Pública impôs uma proibição temporária na veiculação de certas imagens do atentado, ainda que a maioria dos meios sigam informando sobre o ocorrido.

Ainda que nenhum grupo ainda tenha reivindicado o ataque, vários grupos armados realizaram atentados similares na Turquia durante o último ano. O Estado Islâmico realizou três ataques suicidas em movimentadas áreas de Istambul. Também os grupos armados curdos Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK) cometeram importantes atentados nos centros de grandes cidades turcas desde o fim das negociações de paz do ano passado.

O ataque aconteceu apenas um dia depois de uma macro-operação policial contra o crime organizado e grupos armados com ações simultâneas em todo o país, das quais participaram 40.000 agentes.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS