Por que a história de amor adolescente deste anúncio acaba mal?

Uma reviravolta inesperada na história serve como denúncia nesse spot

Evan é um estudante de escola secundária norte-americana que está iniciando uma inesperada história de amor. Depois de escrever um comentário banal numa das escrivaninhas da biblioteca, recebe a resposta de uma desconhecida, com a qual começa uma curiosa relação epistolar. Quando finalmente descobre a menina que está por trás das mensagens anônimas, um acontecimento inesperado interrompe o encontro entre ambos.

Mais informações

O vídeo criado para a ONG Sandy Hook Promise foi publicado no YouTube na sexta-feira e atingiu 1.200.000 visitas nas primeiras 48 horas. Nos segundos finais do anúncio é mostrado que um fato muito mais preocupante aconteceu diante dos nossos olhos sem que tenhamos prestado atenção a ele. Quando Evan finalmente conhece, no ginásio da escola, a menina com a qual estava se correspondendo, outro aluno irrompe no lugar com uma arma, no que parece ser o início de um massacre.

“Enquanto você observava Evan, outro estudante estava mostrando indícios de estar preparando uma fuzilaria. Mas ninguém percebeu isso”, diz o vídeo. Então, algumas das imagens mostradas na história romântica inicial são mostradas novamente.

Nelas se pode ver o agressor em segundo plano, consultando livros e sites sobre armas, sofrendo abusos por parte de colegas, publicando uma fotografia nas redes sociais com uma arma na mão e fazendo gestos violentos.

A violência com armas pode ser evitada... se você souber identificar seus indícios”, diz a organização no final do vídeo. A Sandy Hook Promise foi fundada em 2012, depois do massacre numa escola primária em Connecticut de mesmo nome no qual 27 pessoas morreram.

Uma das agências de publicidade mais importantes do mundo, a BBDO, criou esse anúncio. O protagonista do filme de apenas dois minutos e meio de duração observa todas as salas da escola em busca da misteriosa pessoa com quem se corresponde. Mas em nenhum momento percebe o colega solitário nem o que está acontecendo ao seu lado, como acontece com boa parte dos espectadores.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: