Dia de Ação de Graças

Dia de Ação de Graças: os últimos perus de Obama

O presidente dos EUA indulta ‘Tater’ e ‘Tot’ em seu último Dia de Ação de Graças à frente do Governo

Barack Obama, depois de perdoar peru do dia de Ação de Graças.CARLOS BARRIA (REUTERS) | EPV

Barack Obama começou com Courage e terminou com Tot uma das tradições mais simpáticas da Casa Branca, e entre as mais desfrutadas pelo democrata ao longo de seus oito anos como presidente dos Estados Unidos: o perdão presidencial de um peru na véspera do Dia de Ação de Graças.

Como vem fazendo desde a festa de Ação de Graças de 2009, a primeira que realizou como presidente, Barack Obama fez um gesto com a mão semelhante a uma bendição antes de pronunciar seu já tradicional indulto, “Eu te perdoo”, sobre a ave agraciada, que não se impacientou muito com a cerimônia e as câmeras apontadas para ela.

MAIS INFORMAÇÕES

O dia, com um sol reluzente, não poderia ser mais esplêndido para fim de novembro, às portas das primeiras geadas do ano. Mas na Casa Branca voltava a reinar um ambiente de tristeza e despedida de uma equipe que, depois de oito anos, já está guardando suas coisas para abrir espaço para a nova administração, que chegará com o próximo presidente, Donald Trump.

Em meio às brincadeiras tradicionais, Obama também dedicou nesta quarta-feira alguns momentos para defender o legado que em parte agora corre perigo com a chegada de um novo presidente que prometeu reverter algumas de suas principais conquistas, como a reforma da saúde.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama (d), perdoa ‘Tot’, o peru nacional do Dia de Ação de Graças, diante do presidente da Federação Nacional do Peru, John Reicks, e seus dois sobrinhos.
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama (d), perdoa ‘Tot’, o peru nacional do Dia de Ação de Graças, diante do presidente da Federação Nacional do Peru, John Reicks, e seus dois sobrinhos.SHAWN THEW (EFE)

“Temos muito por que agradecer, com sete anos seguidos de criação de emprego, baixo desemprego, redução da desigualdade, mercado imobiliário quase em ordem, números mínimos de pessoas que necessitam de seguro saúde”, enumerou Obama, que também mencionou o fato de que neste Dia de Ação de Graças, entre os que poderão comemorar a data, haverá também “orgulhosas” famílias não tradicionais, graças ao casamento igualitário aprovado em seu mandato.

"Durante os últimos sete anos estabeleci outra tradição: envergonhar minhas filhas com um monte de piadas sobre perus"

Em um país profundamente dividido depois de uma duríssima campanha eleitoral, Obama também quis recordar que no núcleo da força nacional dos EUA está a “unidade” e que o sentido de pertencimento ao país não vem de uma raça ou religião, mas de uma série de valores compartilhados.

“Apesar de não ser fácil aceitar nossas diferenças, criar uma sociedade diversa nunca foi mais importante do que agora”, destacou Obama, que pediu que os pobres, os vulneráveis, os imigrantes, os refugiados e “qualquer um que busque uma segunda oportunidade” não sejam deixados de lado, para mostrar ao mundo que os “EUA continuam sendo um país generoso”. O presidente defendeu que “nos coloquemos no lugar dos outros” porque, disse, “temos muito mais em comum do que o que nos separa”.

Barack Obama, com seus sobrinhos, Austin e Erin, antes da cerimônia do indulto do peru nesta quarta-feira na Casa Branca.
Barack Obama, com seus sobrinhos, Austin e Erin, antes da cerimônia do indulto do peru nesta quarta-feira na Casa Branca.NICHOLAS KAMM (AFP)

Harry Truman (1945-53) foi o primeiro presidente a receber, em 1947, um enorme peru de presente da então chamada Junta Nacional de Aves de Criação, que com este gesto esperava animar as vendas do produto nos tempos de vacas magras do pós-guerra. Mas o peru, cujo nome não é lembrado – talvez sequer tenha tido um – acabou no prato do presidente. Os perus da Casa Branca tiveram de esperar até John F. Kennedy para deixar de tremer por seu destino, apesar de o indulto oficial só ter se instaurado muito depois: foi George Bush, o pai, que iniciou a tradição que já se tornou uma das mais populares e divertidas da Casa Branca.

Oficialmente, só é perdoado um dos perus que todo ano é oferecido pela Federação Nacional do Peru, nesta ocasião Tot e Tater, duas aves de quase 20 quilos nascidas em julho. Mas desde que Obama chegou ao poder, a pedido de suas filhas, Sasha e Malia, os dois pássaros que chegam à Casa Branca foram indultados de fato, salvando-se assim do destino de milhões de companheiros alados nessa época: acabar como prato principal na mesa da festa mais familiar dos Estados Unidos.

O presidente Obama perdoa o peru chamado ‘Liberty’, no pórtico norte da Casa Branca em 2011.
O presidente Obama perdoa o peru chamado ‘Liberty’, no pórtico norte da Casa Branca em 2011.cordon press

Mas as instigadoras do perdão ampliado não estiveram presentes a este último ato de indulto, realizado no jardim das Rosas da Casa Branca. As filhas adolescentes do presidente – Sasha tem 15 anos e Malia, 18 – foram desde o início do mandato democrata testemunhas bem reticentes das brincadeiras e piadas que seu pai e presidente gosta de fazer na ocasião. As jovens foram as grandes ausentes nesta última celebração familiar, apesar de Obama ter chamado dois de seus sobrinhos menores para compensar a falta das filhas.

“Durante os últimos sete anos estabeleci outra tradição: envergonhar minhas filhas com um monte de piadas sobre perus. Este ano tiveram um problema de agenda. Na verdade, não aguentavam mais minhas piadas. Estavam cheias. Por sorte, tenho a meu lado dois de meus sobrinhos, Austin e Erin, que, ao contrário de Sasha e Malia, ainda não foram transformados em cínicos por Washington”, brincou Obama, enquanto se ouvia os piados do sortudo Tot.

Uma vez que Obama perdoou durante todo seu mandato dois perus por ano, agora pode contabilizar um novo recorde: ser o presidente que mais aves indultou em sua carreira. Graças a Obama, Courage e Carolina acabaram seus dias tranquilamente na Disneylandia da Califórnia, local tradicional para perus indultados até então. Um ano depois, em 2010, Obama fez outro pequeno retoque na tradição e decidiu enviar os perus perdoados, Apple e Cider, a Mount Vernon, na Virgínia, que foi o primeiro lar do primeiro presidente do país, George Washington. Foi ali que acabaram também um ano depois Liberty e Peace, assim como Cobbler e Gobbler em 2012, Caramel e Popcorn(2013), Mac e Cheese (2014) e Honest e Abe no ano passado. A Universidade Virginia Tech será o novo lar de Tater e Tot, os últimos perus de Obama.

Arquivado Em: