Seleccione Edição
Login

O caminho do Água Preta pelas ruas da Pompeia

Ativistas caçadores de rio guiam o EL PAÍS pelos caminhos do córrego

  • Na Praça da Nascente (antiga Homero Silva), na Rua André Casado, 329,  um grupo de ativistas construiu uma pequena lagoa artificial em 2013. Hoje ela simboliza um dos pontos em que o córrego Água Preta, que serpenteia o bairro da Pompeia até o rio Tietê, nasce
    1Na Praça da Nascente (antiga Homero Silva), na Rua André Casado, 329, um grupo de ativistas construiu uma pequena lagoa artificial em 2013. Hoje ela simboliza um dos pontos em que o córrego Água Preta, que serpenteia o bairro da Pompeia até o rio Tietê, nasce
  • Um sistema de canos e telhas conduz a água das abundantes nascentes até a lagoa da Praça da Nascente
    2Um sistema de canos e telhas conduz a água das abundantes nascentes até a lagoa da Praça da Nascente
  • O terreno da incorporadora Exto, onde os planos de se construir um prédio tem causado celeuma com o frequentadores da Praça da Nascente
    3O terreno da incorporadora Exto, onde os planos de se construir um prédio tem causado celeuma com o frequentadores da Praça da Nascente
  • Em alguns pontos do bairro, é possível ver a água de nascentes sendo escoada para a sarjeta. O artista Flavio Barollo conta que nesse ponto saem até 10 mil litros de água por hora.
    4Em alguns pontos do bairro, é possível ver a água de nascentes sendo escoada para a sarjeta. O artista Flavio Barollo conta que nesse ponto saem até 10 mil litros de água por hora.
  • O artista Flavio Barollo e o caçador de rios Adriano Sampaio destampam uma tampa de bueiro em uma travessa na Rua Monsenhor Marcelo Branco, 57. Ali, o córrego da Água Preta passa silencioso. O sonho é que a ruela, que hoje abriga uma horta comunitária, fosse transformada em um parque linear
    5O artista Flavio Barollo e o caçador de rios Adriano Sampaio destampam uma tampa de bueiro em uma travessa na Rua Monsenhor Marcelo Branco, 57. Ali, o córrego da Água Preta passa silencioso. O sonho é que a ruela, que hoje abriga uma horta comunitária, fosse transformada em um parque linear
  • Na rua Havaí, altura do número 858, mais uma das travessas da Pompeia onde o rio está canalizado. Está rua acaba dentro de uma vila fechada.
    6Na rua Havaí, altura do número 858, mais uma das travessas da Pompeia onde o rio está canalizado. Está rua acaba dentro de uma vila fechada.
  • O caçador de rios Adriano Sampaio conversa com Dona Virgínia Telles, que vive no bairro há 50 anos e lembra de causos da região
    7O caçador de rios Adriano Sampaio conversa com Dona Virgínia Telles, que vive no bairro há 50 anos e lembra de causos da região
  • Flavio Barollo, artista do coletivo (se)cura humana, desenvolve um trabalho com água e meio ambiente em São Paulo
    8Flavio Barollo, artista do coletivo (se)cura humana, desenvolve um trabalho com água e meio ambiente em São Paulo
  • Instalação do artista Flavio Barollo na travessa Roque Adóglio, onde o córrego da Água Preta passa canalizado
    9Instalação do artista Flavio Barollo na travessa Roque Adóglio, onde o córrego da Água Preta passa canalizado
  • O lago das cabritas é mais uma das nascentes do córrego Água Preta. Construído pelo coletivo Hezbolago, ele fica na Rua Bárbara Heliodora
    10O lago das cabritas é mais uma das nascentes do córrego Água Preta. Construído pelo coletivo Hezbolago, ele fica na Rua Bárbara Heliodora
  • Adriano Sampaio, do Existe Água em SP, é um dos caçadores de rio mais conhecido da cidade
    11Adriano Sampaio, do Existe Água em SP, é um dos caçadores de rio mais conhecido da cidade
  • Antes de desaguar no rio Tietê, o último ponto em que é possível ter algum contato com o Água Preta é o Sesc Pompeia. Ali, o córrego passa por debaixo de um pier de madeira
    12Antes de desaguar no rio Tietê, o último ponto em que é possível ter algum contato com o Água Preta é o Sesc Pompeia. Ali, o córrego passa por debaixo de um pier de madeira