Eleições municipais

Eleições consolidam ascensão de PSDB e PMDB e declínio do PT

Os cinco principais partidos que deram suporte ao impeachment de Dilma já colhem frutos

O candidato tucano em Porto Alegre, Nelson Marchezzan Júnior. Quality (reuters_live)

MAIS INFORMAÇÕES

A derrota do PT nestas eleições municipais já era esperada. Os petistas governam atualmente 15 das  92 maiores cidades brasileiras, que representam quase 40% do eleitorado. Podem chegar a no máximo oito no dia 30 de outubro, quando ocorre o segundo turno. Após o pleito deste domingo, a principal constatação é que o vácuo de poder deixado por quem administrou o Governo Federal por quase 14 anos renderá frutos aos maiores artífices do impeachment de Dilma Rousseff, o PSDB e o PMDB.

Os tucanos levaram 12 prefeituras no primeiro turno, inclusive a joia da coroa, São Paulo com João Doria, e outra capital estadual, Teresina, com Firmino Filho. Ainda disputam outras 19 prefeituras no segundo turno e podem se consolidar como o maior beneficiário desse momento político, com 31 executivos municipais. Já o PMDB levou sete na primeira etapa, sendo uma capital (Boa Vista, com Teresa Surita), e ainda tem chance em outras quinze.

Porto Alegre é o principal exemplo de como o cenário está desfavorável aos partidos ditos de esquerda e que o vento está a favor dessas duas legendas. A disputa na capital gaúcha será entre Nelson Marchezzan Júnior (PSDB), que surpreendeu ao liderar a corrida sem que nenhuma pesquisa eleitoral tivesse filtrado isso, e Sebastião Mello (PMDB). Raul Pont (PT) e Luciana Genro (PSOL), ficaram distantes da vaga na segunda etapa.

Ao mesmo tempo em que a urna agora tem reforçado esse papel de liderança de tucanos e peemedebistas, ela já antecipa o que se pode esperar para a eleição presidencial de 2018. Considerada como uma disputa com menor importância, a escolha de prefeitos e vereadores reflete diretamente no número da bancada federal de cada legenda. Analistas afirmam que, quando um partido elege vários prefeitos, ele tem boas chances de aumentar seu número de parlamentares no Congresso Nacional e, consecutivamente, ampliar os recursos disponíveis no fundo partidário, sua exposição e as chances de governar o país ou se aliar com que o fará.

Disputa interna na base

A briga por espaço entre os dois principais aliados de Michel Temer já pode começar antes mesmo de 2018. Em seu primeiro escalão, há ao menos um tucano que sonha em disputar a presidência, o senador José Serra, que hoje é ministro das Relações Exteriores. Assim, o prazo de validade de Serra na função, caso ele não migre para o PMDB, pode ser encurtado.

Outra constatação ao analisar os 92 maiores eleitorados brasileiros – exclui-se Brasília porque nela não há disputa municipal – é que o PSD, o PSB e o PPS, outras duas legendas que interferiram na destituição de Rousseff também estão colhendo os louros nessa disputa. As três juntas hoje administram 19 municípios. No primeiro turno, já levaram seis e podem chegar a 29. Depois deste domingo, ainda há 55 cadeiras de prefeito sob disputa.

O número pode crescer, já que até o fim de semana, o Tribunal Superior Eleitoral havia registrado 71 impugnações de candidaturas apenas para prefeituras. Ou seja, algumas votações poderão ser revistas e resultados finais podem ser alterados. Um dos casos ocorre em Montes Claros, Minas Gerais. O prefeito Ruy Muniz (PSB), que teve sua prisão decretada, não desistiu de concorrer, mas como sua candidatura estava impugnada, todos os votos dados a ele foram considerados nulos. Se nos próximos dias o TSE revisar essa impugnação a cidade, que teoricamente deu a vitória a Humberto Souto (PPS) poderá enfrentar um segundo turno ou ter o próprio Muniz como prefeito reeleito.

A derrocada petista também resultou na perda de espaço para quem esteve ao seu lado até os últimos dias em que governou o país. O PCdoB, que hoje administra três das 92 maiores cidades do país, pode chegar a no máximo duas. O PDT vai ficar estancado, hoje tem nove prefeituras e se ganhar todas as que ainda disputa, pode no máximo empatar esse número. Em Brasília, já há quem diga que quando os petistas decidirem se reinventar (se é que farão isso realmente), terão de descobrir uma fórmula semelhante para os demais.

Salvar

Os 55 municípios que terão segundo turno

Cidade Estado Vencedor do 1º turno Partido Vice no 1º turno Partido
Anápolis GO João Gomes PT Roberto do Orion PTB
Aracaju SE Edvaldo Nogueira PCdoB Valadares Filho PSB
Bauru SP Gazzetta PSD Raul PV
Belém PA Zenaldo Coutinho PSDB Edmilson PSOL
Belo Horizonte MG João Leite PSDB Kalil PHS
Blumenau SC Napoleão Bernardes PSDB Jean Kuhlmann PSD
Campo Grande MS Marquinhos Trad PSD Rose Modesto PSDB
Canoas RS Beth Colombo PRB Busato PTB
Cariacica ES Marcelo Santos PMDB Juninho PPS
Caruaru PE Tony Gel PMDB Raquel Lyra PSDB
Caucaia CE Naumi Amorim PMB Eduardo Pessoa PSDB
Caxias do Sul RS Edson Nespolo PDT Daniel Guerra PRB
Contagem MG Carlin Moura PCdoB Alex de Freitas PSDB
Cuiabá MT Emanuel Pinheiro PMDB Wilson Santos PSDB
Curitiba PR Rafael Greca PMN Ney Leprevost PSD
Diadema SP Lauro Michels PV Vaguinho PRB
Duque de Caxias RJ Washington Reis PMDB Dica PTN
Florianópolis SC Gean Loureiro PMDB Angela Amin PP
Fortaleza CE Roberto Cláudio PDT Capitão Wagner PR
Franca SP Sidnei Rocha PSDB Gilson de Souza DEM
Goiânia GO Iris Rezende PMDB Vanderlan PSB
Guarujá SP Haifa Madi PPS Valter Suman PSB
Guarulhos SP Guti PSB Eli Correa DEM
Jaboatão dos Guararapes PE Anderson Ferreira PR Neco PDT
Joinville SC Udo Dohler PMDB Darci de Matos PSD
Juiz de Fora MG Bruno Siqueira PMDB Margarida Salomão PT
Jundiaí SP Luiz Fernando Machado PSDB Pedro Bigardi PSD
Macapá AP Clécio REDE Gilvam Borges PMDB
Maceió AL Rui Palmeira PSDB Cicero Almeida PMDB
Manaus AM Artur Virgílio PSDB Marcelo Ramos PR
Maringá PR Silvio Barros PP Ulisses Maia PDT
Mauá SP Atila Jacomussi PSB Donisete Braga PT
Niterói RJ Rodrigo Neves PV Felipe PSB
Olinda PE Antonio Campos PSB Prof Lupercio SD
Osasco SP Rogério Lins PTN Jorge Lapas PDT
Petrópolis RJ Bernardo Rossi PMDB Rubens Bontempo PSB
Ponta Grossa Paraná Marcelo Rangel PPS Aliel Machado REDE
Porto Alegre RS Nelson Marchezzan Jr PSDB Sebastião Melo PMDB
Porto Velho RO Dr Hildon PSDB Léo Moraes PTB
Recife PE Geraldo Julio PSB João Paulo PT
Ribeirão Preto SP Duarte Nogueira PSDB Ricardo Silva PDT
Rio de Janeiro RJ Crivella PRB Freixo PSOL
Santa Maria RS Valdeci Oliveira PT Pozzobom PSDB
Santo André SP Paulo Serra PSDB Carlos Grana PT
São Bernardo do Campo SP Orlando Morando PSDB Alex Manente PPS
São Gonçalo RJ José Luiz Nanci PPS Dejorge Patricio PRB
São Luís MA Edivaldo Holanda PDT Eduardo Braide PMN
Serra ES Sergio Vidigal PDT Audifax REDE
Sorocaba SP Crespo DEM Raul Marcelo PSOL
Suzano SP Rodrigo Ashiuchi PRB Lacerda PTB
Taubaté SP Pollyana Gama PPS Saud PMDB
Vila Velha ES Max Filho PSDB Neucimar Fraga PSD
Vitória ES Luciano Rezende PPS Amaro Neto SD
Vitória da Conquista BA Herzem Gusmão PMDB Zé Raimundo PT
Volta Redonda RJ Baltazar PRB Samuca Silva PV