_
_
_
_

A imagem que doeu no mundo todo

Ginasta francês Samir Aït Saïd quebra a perna durante um salto na prova do cavalo

Amaya Iríbar
O francês Saïd é retirado de maca.
O francês Saïd é retirado de maca.ANTONIN THUILLIER (AFP)
Mais informações
Imagens do primeiro dia de competições
Brasil decola com prata no tiro, mas cai nos tatames
Vanderlei Lima: de ser atacado em plena corrida a acender a pira olímpica
Brasil vence a Suécia por 5 a 1 no futebol feminino na Olimpíada

O primeiro dia da ginástica artística no Rio ficou em suspenso quando o francês Samir Aït Saïd se machucou no salto. Não pelo fato em si, pois, no final das contas, este é um esporte de risco, onde uma queda ruim pode afastar o atleta da competição. Mas pela imagem de sua perna em uma posição impossível, que deixou a Arena Olímpica do Rio em aterrador silêncio.

Especialista nas argolas e bom saltador, Saïd tentou um duplo Tsukahara carpado no cavalo. Impreciso no ar, não chegou a concluir o giro e acabou rolando pelo colchonete, segurando a perna esquerda com uma mão e tampando os olhos com a outra.

A França saía na segunda subdivisão, depois que Uchimura caiu na barra fixa e ainda assim se manteve à frente da classificação individual; de que o Japão apresentasse sua candidatura ao título por equipes e que os brasileiros, entre lágrimas de emoção, viram como seu campeão olímpico Zanetti conquistava 15.533 nessas argolas em que se sai tão bem. Saïd não foi para os arcos e seguiu para as argolas, sua especialidade. Seu segundo aparelho foi o salto, mas não pôde prosseguir.

A competição ficou parada durante vários minutos, até que o ginasta fosse removido em uma maca. No fim do dia se soube que sua nota nas argolas lhe tinha garantido uma posição na final, que obviamente não poderá disputar.

O francês não foi o único a se machucar, embora tenha sido o de maior gravidade. Na mesma rodada o alemão Toba lesionou o joelho. Mas como isto é ginástica, isso não o impediu de continuar na competição.

Depois, na segunda subdivisão, os Estados Unidos ultrapassaram o Japão ao somarem 270.405 pontos em uma das surpresas do dia (no final a China foi a primeira, embora por pouco) A outra, maior se possível, foi que o ucraniano Verniaiev superou o campeão olímpico e invicto nos três Mundiais desse ciclo olímpico, Kohei Uchimura.

Samir Aït Saïd.
Samir Aït Saïd.Julio Cortez (AP)

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo

¿Quieres añadir otro usuario a tu suscripción?

Si continúas leyendo en este dispositivo, no se podrá leer en el otro.

¿Por qué estás viendo esto?

Flecha

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo y solo puedes acceder a EL PAÍS desde un dispositivo a la vez.

Si quieres compartir tu cuenta, cambia tu suscripción a la modalidad Premium, así podrás añadir otro usuario. Cada uno accederá con su propia cuenta de email, lo que os permitirá personalizar vuestra experiencia en EL PAÍS.

En el caso de no saber quién está usando tu cuenta, te recomendamos cambiar tu contraseña aquí.

Si decides continuar compartiendo tu cuenta, este mensaje se mostrará en tu dispositivo y en el de la otra persona que está usando tu cuenta de forma indefinida, afectando a tu experiencia de lectura. Puedes consultar aquí los términos y condiciones de la suscripción digital.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_