França

Cabeleireiro do presidente François Hollande ganha 9.895 euros por mês

Executivo da França argumenta que o trabalhador está disponível “24 horas por dia”

François Hollande

O presidente da França, François Hollande, está colecionando aborrecimentos nos últimos dias. Três dias depois de a seleção francesa perder a final da Eurocopa e um dia depois do ministro Emmanuel Macron, seu protegido, fazer todo um alarde de força e emancipação, o semanário Le Canard Enchainé divulgou nesta quarta-feira que o chefe de Estado francês tem um cabeleireiro contratado que recebe um salário oficial de 9.895 euros (36.210 reais) pago pelo contribuinte.

MAIS INFORMAÇÕES

Em um país ainda abalado pela crise, com mais de 10% de desemprego, em que o salário mínimo mensal é de 1.466 euros (5.360 reais), a remuneração do cabeleireiro de Hollande é excessivamente elevada. Os próprios porta-vozes do líder socialista admitem. Por isso argumentam que o funcionário, Olivier B., “começa a trabalhar de manhã cedo”, tem um expediente muito extenso e está disponível inclusive nos fins de semana.

“Está à disposição do presidente 24 horas por dia” e, devido a sua dedicação plena, “faltou ao nascimento de seus filhos” ou não esteve com eles quando quebraram um braço, argumenta sua advogada, Sarah Levy. Os porta-vozes da presidência não esclarecem se o mandatário obrigou o cabeleireiro a trabalhar mesmo sabendo que sua esposa estava dando à luz ou se o funcionário de luxo deixou de comunicar o fato.

Em ambos os casos, o dado parece exagerado, mas os colaboradores do inquilino do palácio ressaltam a grande dedicação do cabeleireiro: “Arruma o cabelo do presidente todas as manhãs e quantas vezes for necessário cada vez que precisa fazer um pronunciamento”. Apesar de todo esse esforço, o penteado de Hollande, que já perdeu bastante cabelo, não é exatamente algo que se destaque em sua aparência.

Acrescentam que o homem, submetido a um contrato de confidencialidade, tem de acompanhar Hollande em toda viagem de mais de um dia de duração. Outro dado que dá mais munição à história do dispendioso Olivier B.

A informação, desfavorável para Hollande, surge na véspera da festa nacional de 14 de julho, dia em que o chefe de Estado preside um desfile militar na avenida Champs-Élysées e faz um pronunciamento transmitido por dois canais de televisão. Nos dois últimos anos, o presidente foi vaiado. A festa deste ano é a última do atual mandato de Hollande.

A notícia aparece quando ainda ressoam os ecos das manifestações e greves organizadas pelos sindicatos nos quatro últimos meses em protesto contra a reforma trabalhista, finalmente aprovada por decreto, que facilita e barateia as demissões. A de Olivier B., se acontecer, não sairá barato para o contribuinte. Terá de ser calculada sobre os 593.700 euros (2 milhões de reais) que o homem ganhará durante os cinco anos de mandato de Hollande.

A presença de um cabeleireiro tão bem pago no palácio presidencial já foi arejada no livro L´Elysée off. Agora, o Le Canard publicou uma cópia do contrato, assinado em 16 de maio de 2012 e válido para todo o mandato de Hollande. A presidência confirmou que o contrato é autêntico. O escândalo soma-se ao descoberto em 2014, quando se soube que Aquilino Morelle, conselheiro de Hollande, utilizava continuamente os serviços de um engraxate.

Arquivado Em: