Seleccione Edição
Login

Colisão de trens mata ao menos 27 no sul da Itália

Acidente aconteceu na região da Apúlia, num trecho pelo qual passam dezenas de composições por dia

Primeiras imagens do acidente, divulgadas pelo canal News24 no Youtube.

"Foi um desastre, como se tivesse caído um avião". Assim descrevia Massimo Mazzilli, prefeito de Corato, a choque frontal de dois trens que circulavam nas primeiras horas da manhã desta terça-feira entre o seu município e Andria, na região de Apúlia (sul da Itália). As autoridades, que ainda não determinaram as causas da colisão, confirmaram que pelo menos 27 pessoas morreram e outras 50 estão feridas. Os trens trafegavam por um trecho de via única, em obras para ser duplicado. Pelo menos 200 trens passam diariamente por essa área, quase sempre cheios de passageiros. As imagens aéreas mostram que os primeiros vagões dos trens, que pertencem a Ferrovie Nord Barese, ficaram completamente destruídos.

O acidente aconteceu pouco depois das 11h (6h em Brasília), numa área desabitada. Um grande grupo de socorristas está no local, assim como agentes da polícia ferroviária, que investigam as causas da colisão. O primeiro-ministro, Matteo Renzi, declarou: "Não pararemos até que se esclareça o que ocorreu". O mandatário interrompeu a visita que estava fazendo a um museu de Milão para viajar a Roma e acompanhar da capital as informações do acidente.

Mapa del accidente ferroviario del Sur de Italia

Segundo a imprensa local, entre os feridos está uma criança pequena que foi evacuada em helicóptero até um hospital da região. "Há muitos mortos", admitiu o comandante da Polícia de Andría, Riccardo Zingaro, segundo o jornalLa Repubblica. Os trens acidentados faziam percursos regionais, numa hora de grande movimento, embora não exista uma estimativa aproximada de quantos passageiros podem ter sido envolvidos.

As linhas ferroviárias italianas não são muito seguras. Segundo os dados do jornal La Repubblica, a Itália registrou, de 2009 até hoje, 120 acidentes ferroviários que provocaram a morte de 74 pessoas e outros 256 feridos.