Pelo menos três mortos em tiroteio em um tribunal em Michigan

Dois dos mortos são oficiais do tribunal, o terceiro é o agressor

Forças de segurança de EUA depois do tiroteio de Saint Joseph (Michigan).
Forças de segurança de EUA depois do tiroteio de Saint Joseph (Michigan).TASOS KATOPODIS (AFP)

Um homem matou a tiros na segunda-feira dois oficiais de um tribunal na cidade de Saint Joseph (Michigan) antes de ser abatido, informaram as autoridades locais. Apesar de ainda não estar claro o motivo do ataque, ele voltou a acender o alarme em um país que ainda não se recuperou da matança de cinco policiais em Dallas na semana passada e da morte de dois negros por policiais poucos dias antes. Incidentes que reabriram o debate sobre as tensões raciais no país.

MAIS INFORMAÇÕES

O chefe de polícia local, Paul Bailey, confirmou a morte dos dois oficiais. O suspeito, um condenado que ao que tudo indica tinha uma audiência com um juiz, morreu pouco depois pelas mãos dos “valentes policiais” que foram ao local do tiroteio, no terceiro andar do tribunal, e “conseguiram abater o agressor”, explicou o xerife em um breve pronunciamento à imprensa. Várias pessoas ficaram feridas no tiroteio, uma delas também é policial. Segundo Bailey, todos os feridos foram levados rapidamente a um hospital local e se encontram “estáveis”.

O governador de Michigan, Rick Snyder, publicou pouco antes em sua conta no Twitter a notícia sobre o tiroteio e afirmou que a investigação sobre o ocorrido já está em andamento.

Segundo a imprensa local, o agressor conseguiu tomar a arma de um dos guardas que o custodiavam e começou a atirar. Todo o tribunal e os edifícios próximos foram colocados imediatamente em estado de alerta.

O incidente foi divulgado rapidamente pelas principais cadeias de televisão nacionais. Todos os Estados Unidos estão sob grande tensão após a matança de Dallas, cidade em que o presidente Barack Obama estará na terça-feira para participar de um ato em homenagem aos cinco policiais assassinados na noite de quinta-feira por um jovem afro-americano que disparou contra eles quando os agentes escoltavam um protesto contra os abusos policiais contra os negros. Obama encurtou em um dia sua visita à Espanha para poder participar da cerimônia de terça na cidade texana.

Arquivado Em: