Jogos Olímpicos 2016

Ciclovia a beira-mar desaba no Rio de Janeiro e deixa ao menos dois mortos

Ciclovia na avenida Niemeyer caiu após ser atingida por uma onda segundo testemunhas Ela havia sido inaugurada três meses atrás

O trecho da ciclovia que desabou no Rio.
O trecho da ciclovia que desabou no Rio.C. Coimbra (Ag. O Globo)

Uma das vítimas foi identificada como o engenheiro Eduardo Marinho de Albuquerque, de 54 anos, que corria pela ciclovia no momento do desabamento. O corpo foi deixado pelos bombeiros na praia de São Conrado, até onde chegaram sua viúva e seu cunhado, que o identificou. A outra é Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos.

A ciclovia foi um dos projetos estrela do prefeito Eduardo Paes que, em janeiro e com o pé quebrado, a inaugurou enquanto andava num triciclo em plena febre pré-Olímpica. O projeto, cujas obras levaram mais de um ano e meio, custou quase 45 milhões de reais e se estende por 3,9 quilômetros. O prefeito, que na hora da tragédia estava em Atenas participando da cerimônia de acendimento da tocha olímpica que marca a contagem regressiva dos 100 dias até a Olimpíada, adiantou seu retorno ao Rio. Ele divulgou uma nota qualificando a tragédia como "imperdoável" e prometeu investigar as causas. A prefeitura afirmou que a fundação Geo-Rio vai realizar uma vistoria no local para apurar as causas do acidente, e que "os reparos serão executados pela empresa responsável pela construção, sem ônus adicionais ao município".

Pedro Paulo Carvalho, secretário executivo de Coordenação, braço direito de Paes e pré-candidato à Prefeitura, afirmou que aguarda o parecer técnico dos engenheiros responsáveis pela obra e qualificou de “desastre inaceitável” a tragédia. Questionado, no entanto, se houve uma falha na construção da ciclovia, Pedro Paulo não confirmou e pediu prudência. "Não vamos medir esforços para cobrar os responsáveis, mas é prematuro fazer acusações", disse o secretário. Segundo ele, foram feitos todos os "estudos geo técnicos antes da obra, precisamos entender primeiro o que aconteceu, todos os cálculos que foram feitos serão revistos".

Av Niemeyer acaba de ser fechada ! Partes da ciclovia caiu !!

Gepostet von Eric Poseidon am Donnerstag, 21. April 2016

Segundo o secretário, a responsável pela construção desse trecho da ciclovia é a empresa Concremat. A empresa de engenharia foi citada nas delações da Operação Lava Jato como tendo pago uma das companhias de fachada controlada pelo doleiro Alberto Youssef e por possíveis desvios nas obras da transposição do rio São Francisco. Mauro Viegas Filho, o fundador da companhia e hoje presidente de Honra do Conselho de Administração das Empresas Concremat, é o avô do Secretário Especial de Turismo da cidade, Antonio Pedro Viegas Figueira de Mello.

A tragédia pode frustrar os planos de Paes que prometeu para o mês de abril inaugurar um novo trecho que ligasse São Conrado à Barra da Tijuca, cenário dos Jogos Olímpicos de agosto.

A Polícia Civil informou que irá abrir um inquérito para investigar as causas do acidente. Equipes da perícia foram enviadas ao local para analisar. A ciclovia e a avenida Niemeyer estão interditadas. Em nota, a Concremat afirmou que "uma equipe técnica da empresa já se encontra no local, trabalhando em coordenação com a Secretaria Municipal de Obra", e que "as prioridades neste momento são garantir o atendimento às vítimas e seus familiares e avaliar as causas do acidente".

Arquivado Em: