Jogos Olímpicos

Quem instituiu os primeiros jogos olímpicos da era moderna: a história da Grécia ao Rio

Os primeiros jogos olímpicos da era moderna aconteceram em 6 de abril de 1896 em Atenas Google comemora a data e o criador dos jogos com um Doodle especial

(reuters_live)
Doodle comemora 120° aniversário das Olimpíadas

Os críticos da Roma clássica já lembravam que os gregos se queixavam de que o teatro era uma arte em decadência, e o barão Pierre de Coubertin, um nobre francês que, se entendia de alguma coisa, era de clássicos helenos e de espírito animal, lança em 1890 o grito de alarme: justo quando anoitecia o século que o havia visto nascer, o Esporte corria um grave perigo de degeneração. “O espírito mercantil ameaça invadir os círculos esportivos”, alertava. “O desejo de ganhar é alimentando com muita frequência por algo diferente da ambição de uma distinção honrosa. Se não queremos que o Esporte degenere e morra uma vez mais, é preciso purifica-lo.” Desse espírito e entusiasmo purificadores nasceram em 1894, no Congresso de Paris organizado por Coubertin, os Jogos Olímpicos, cuja primeira edição foi inaugurada em Atenas em 6 de abril de 1896, segunda-feira de Páscoa, há exatamente 120 anos. Hoje, o Google comemora a data com um logo especial (um Doodle).

Mais informações

Os primeiros jogos olímpicos da era moderna foram realizados durante duas semanas na capital grega, então uma pequena cidade de 130.000 habitantes herdeiros do espírito dos Jogos que na antiguidade existiram durante séculos no belo e fértil vale de Olímpia, não muito distante de Atenas. Foram inaugurados pelo rei Jorge I da Grécia no Estádio Panathinaiko, reconstruído com mármore pentélico, tal como o havia erguido 20 séculos antes Herodes Ático, graças à contribuição generosa de George Averoff, magnata, multimilionário e mecenas.

Pierre de Courbetin.
Pierre de Courbetin.

Participaram 245 esportistas (todos homens) de 15 países –a Grécia, que dominou o painel de medalhas, com 45, Estados Unidos, Alemanha, França, Reino Unido e Irlanda, Hungria, Dinamarca, Áustria, Suíça, Austrália, Chipre, Egito, Itália, Suécia e Esmirna– que competiram em nove modalidades: atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, tiro, natação, tênis, halterofilismo e luta. O herói da competição era um pastor de 25 anos, filho de camponeses de Marusi, chamado Spiridon Louis, ganhador da maratona em 2h55m, uma prova para a qual havia treinado durante um ano no campo. Naquele dia, o último dos Jogos, o estádio lotou, com mais de 150.000 espectadores entusiasmados cantando a grandeza da Grécia e seu povo.

Depois de Atenas, a cada quatro anos começaram a ser organizados Jogos Olímpicos, que se transformaram às vezes em sinônimo de falta de comedimento e de corrupção e na maior vitrine da gigantesca indústria esportivo-patriótica, da qual já tomaram parte cerca de 145.000 esportistas. Nos últimos Jogos, celebrados em Londres em 2012 e que resultaram em um impacto econômico equivalente a 6 bilhões de euros (25,1 bilhões de reais), participaram 10.568 atletas (44% eram mulheres) de 204 países, competindo em 28 modalidades para deleite e paixão de 4,8 bilhões de pessoas de todo o mundo que os acompanharam pela televisão ou pelo YouTube,

Os próximos Jogos Olímpicos, marcados para o Rio de Janeiro em agosto, serão a edição de número 28. O evento olímpico, sinônimo também de trégua de paz em um mundo sempre em conflito, espécie de guerra sem derramamento de sangue, só deixou de ser realizado por culpa das duas guerras mundiais do século XX, em 1916, 1940 e 1944.